Foto: Frente Fotográfico

Chamada “Un violador en tu camino”, a canção foi criada pelo coletivo chileno Lastesis, que se tornou um hino dos protestos na semana do dia 25 de novembro, dia Internacional de combate a violência contra a mulher. As chilenas realizaram seu protesto no dia 20 de novembro, ao saber de denúncias de estupros de policiais nos atos em defesa da igualdade social no país, que começaram em outubro.

A performance, que reúne mulheres com os olhos vendados cantando “E a culpa não era minha, nem onde estava, nem como vestia”, se espalhou pelo mundo e diversos países vem reproduzindo a coreografia, que aponta o descaso do Estado, da polícia e da justiça com os casos de estupro e violência contra a mulher, além de protestar contra o machismo e o patriarcado.

Buenos Aires – ARG

A partir da difusão massiva da performance, o coletivo chamou mulheres de todo o mudo para replicar a coreografia no dia 29 de novembro em suas cidades e as redes se encheram de vídeos de mulheres cantando os versos da canção.

No Brasil, atos estão sendo organizados para reproduzir a performance. Muitas mulheres também usaram o twitter para se manifestar, contando suas histórias

“E a culpa não era minha (tinha 5 anos), nem onde estava (8 anos, dormindo esperando minha mãe), nem como vestia (uniforme da escola).

São Paulo – SP

Vitória – ES

Porto Alegre – RS

Mas nem sempre é tranquilo protestar. Na Turquia, a polícia dispersou de forma truculenta no domingo, 8, a manifestação de centenas de mulheres em Istambul.