Foto: Mídia NINJA

Por Rebecca Lorenzetti para Mídia Ninja

A Conferência das Partes (COP 28) avança para os dias finais, e o presidente, Sultan Al Jaber, afirma que a cúpula já fez história. As negociações, intensificadas na segunda semana da COP, destacam debates cruciais sobre a eliminação dos combustíveis fósseis, estratégias de abatimento e o impacto no Acordo de Paris.

O ex-primeiro-ministro francês e presidente da COP 21, Laurent Fabius, alertou que estamos fora do caminho para evitar o aumento de 1,5 graus de aquecimento, conforme acordado em Paris. Ele estima que atingiremos entre 2,8 e 3 graus se não agirmos imediatamente.

A repórter Nina Lakhani revelou que os organizadores da COP 28 concederam a presença a pelo menos 475 lobistas trabalhando em tecnologias de captura e armazenamento de carbono, tecnologias não comprovadas pelos cientistas climáticos para conter o aquecimento global.

O ministro das Relações Exteriores da Noruega, Espen Barth Eide, enfrentou protestos de ativistas contra o novo campo de petróleo Rosebank no Mar do Norte. Embora o governo do Reino Unido tenha aprovado a licença de petróleo e gás, operada pela Equinor da Noruega, Eide afirmou que a decisão não estava em suas mãos, declarando: “Essas decisões competem ao governo do Reino Unido”.

Sultan Al Jaber, presidente da COP28, expressou otimismo sobre o progresso na cúpula, afirmando que “todos concordamos que a COP 28 foi diferente e tenho certeza de que todos concordaremos que a COP 28 já fez história”. Apesar de seu envolvimento com uma das maiores petroleiras do mundo e de sua atuação apontada como controvérsia durante toda a conferência.

Laurent Fabius, em uma coletiva de imprensa, destacou a necessidade urgente de enfrentar o desafio de eliminar gradualmente os combustíveis fósseis, comparando-o a um elefante na sala quando se trata de alcançar a meta de 1,5 graus Celsius. Ele enfatizou a importância de uma transição justa, incluindo financiamento, tecnologia e indústria necessários para os países em desenvolvimento.

Friederike Röder, Vice-Presidente de Política e Advocacia da Global Citizen, ofereceu uma análise crítica do último rascunho da GST, apontando retrocessos em questões-chave, como a retirada de incentivos fiscais aos combustíveis fósseis e a falta de um cronograma para a transição energética.

Enquanto ministros de Egito e Canadá são encarregados de contribuir para um texto negociado sobre implementação, focando em finanças climáticas, Mohamed Nasr, negociador-chefe de clima do Egito, destacou os desafios enfrentados pelos países em desenvolvimento na consecução das Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs) e nos planos nacionais de ação climática.

O bilionário australiano da mineração, Andrew Forrest, presente em Dubai durante a COP 28, intensificou a condenação da indústria de petróleo e gás, defendendo uma linguagem forte sobre a eliminação gradual dos combustíveis fósseis.

A COP 28 continua a ser um palco de debates cruciais, à medida que líderes mundiais buscam soluções para enfrentar a crise climática e garantir um futuro mais sustentável para o planeta.