Ordem de prisão foi resultado de um pedido do Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES)

Foto: Câmara Espírito Santo

O deputado estadual bolsonarista Capitão Assumção (PL-ES), teve sua prisão preventiva mantida após passar por uma audiência de custódia. A medida foi tomada após sua detenção pela Polícia Federal (PF) no dia anterior, por descumprir medidas cautelares impostas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no âmbito do inquérito dos atos antidemocráticos.

A ordem de prisão foi resultado de um pedido do Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES), embora o inquérito tramite em sigilo no STF, limitando as informações disponíveis sobre o caso.

Capitão Assumção é investigado pela PF por participação em bloqueios de estradas promovidos por apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro após as eleições de 2022.

Ele teria violado medidas cautelares impostas pelo STF, continuando a utilizar redes sociais, mesmo estando proibido, e publicando imagens dos atos golpistas do 8 de Janeiro, após a invasão da Praça dos Três Poderes.

Em fevereiro do ano passado, em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado simulou a retirada da tornozeleira eletrônica que usava por ordem do STF, chamando o aparelho de “porcaria” e criticando o Supremo Tribunal Federal.