Marielle Franco foi assassinada no dia 14 de março de 2018 em um atentado ao carro onde estava com o motorista Anderson Pedro Gomes. Foto: Bernardo Guerreiro / Mídia NINJA

No mês em que se completam 6 anos do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, o Ministro da Justiça Ricardo Lewandowski anuncia a homologação de uma colaboração premiada de Ronie Lessa caso no Supremo Tribunal Federal (STF), sob a relatoria do ministro Alexandre de Moraes.

“A colaboração premiada de Ronnie Lessa traz elementos importantíssimos que nos levam a crer que em breve teremos a solução do caso da vereadora Marielle Franco.”, anunciou o ministro. O processo segue em segredo de justiça.

Ronnie é acusado de ser um dos executores dos assassinatos, junto do também ex-policial Élcio Queiroz. Ambos foram presos em março de 2019, um ano depois do crime. Lessa é suspeito de ter efetuado os disparos e Queiroz, de conduzir o carro usado no assassinato.

O STJ, onde o caso estava tramitando antes, encaminhou o procedimento ao STF após as novas revelações por entender que o STF seria o foro adequado, já que Lessa cita nos depoimentos autoridade que não estava no exercício da função na época dos homicídios, que completaram seis anos na semana passada.

O STF é responsável pelo julgamento de autoridades como presidente, vice-presidente, ministros, senadores, deputados federais e integrantes dos tribunais superiores.

Segundo o ministro Lewandowiski, o caso teve grandes avanços. “Em um ano chegou a resultados concretos nessa investigação” e reforçou o trabalho da Polícia Federal e a participação do MPF e do MP-RJ.

A ministra da Igualdade Racial e irmã de Marielle Franco, Anielle Franco, comentou o anúncio em suas redes: