Cerimônia de premiação aconteceu na última sexta-feira (1º)

Foto: Reprodução/cineceara.com

Por Lilianna Bernartt

O encerramento do 33° Cine Ceará, um dos mais importantes festivais de cinema do circuito nacional, aconteceu na noite de sexta-feira (1º).

O Festival contou com 3 mostras: Mostra Olhar do Ceará; Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem e Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem.

Entre os destaques da premiação, temos “A Mulher Selvagem” (La mujer salvaje), filme de Alan González, vencedor do Troféu Mucuripe de Melhor Longa-metragem, que recebeu R$ 20 mil para distribuição da obra no Brasil; “Pulmão de Pedra”, filme dirigido por Torquato Joel, ganhador de dois prêmios especiais, o Prêmio da Crítica Abraccine de Melhor Curta-metragem, com júri formado pelos críticos João Paulo Barreto, Lilianna Bernartt e Marcelo Müller, e o Prêmio Canal Brasil de Curta-metragem, que teve no júri os jornalistas Marcelo Müller Bruno Carmelo, Renata Boldrini, Lilianna Bernartt, Renato Marafon, André Guerra e Ismaelino Pinto, convidados pelo Canal Brasil.

Ainda destacamos o filme “Sou Amor”, único representante brasileiro da Mostra Competitiva Ibero americana de Longa-metragem, que levou o Troféu Mucuripe de Melhor atuação pelo júri oficial do Festival.

Ao todo, foram exibidos 80 filmes, dentre os quais, 43 concorreram ao Troféu Mucuripe em diversas categorias.

Confira todos os vencedores do 33° Cine Ceará:

Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem

O filme cubano “A mulher selvagem” (La mujer salvaje), de Alan González, foi o vencedor do Troféu Mucuripe de Melhor Longa-metragem e recebeu R$ 20 mil para distribuição da obra no Brasil. O filme ganhou também os troféus de Melhor Atuação Principal, para Lola Amores, e Melhor Som, para Michel Caballero e Angie Hernández.

O júri oficial da mostra decidiu, por unanimidade, outorgar o Troféu Mucuripe ao coletivo de atores de “Sou amor”, de André Amparo e Cris Azzi, de Minas Gerais, o único representante brasileiro na mostra, pela força expressiva de um trabalho em equipe.

“Alemanha” (Alemania), de Maria Zanetti levou o Troféu Mucuripe em três categorias: Melhor Direção e Melhor Roteiro para María Zanetti, e Melhor Direção de Arte, para Michaela Saiegh.

O chileno “O castigo” (El castigo), de Matías Bize foi um dos grandes destaques entre os presentes no festival, e levou os troféus de Melhor Fotografia para Gabriel Diaz pelo júri oficial da mostra, e o Prêmio da Crítica Abraccine de Melhor Longa-metragem Ibero-americano do 33º Cine Ceará, concedido pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema. Nas palavras do júri, formado pelos críticos João Paulo Barreto, Lilianna Bernartt e Marcelo Müller, a escolha se deu “pela coragem de um roteiro feminino que discute a maternidade compulsória com extrema sinceridade, contribuindo para a amplitude da discussão do tema da autonomia do corpo feminino e ainda superando os desafios técnicos de um plano sequência”.

O título de Melhor Montagem foi para Tin Dirdamal, pelo filme “Agora a luz cai vertical” (Ahora a luz cae vertical), e o de Melhor Trilha Sonora foi para Nantu Studio, pelo trabalho em “Céu aberto” (Cielo abierto).

Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem

O cearense “Os finais de Domingos”, do diretor Olavo Junior, foi premiado com o Troféu Mucuripe de Melhor Curta-metragem pelo júri oficial, que o justificou “pela abordagem delicada, pela maestria na condução da história, pela excelência do elenco, pelo primor da fotografia e pelo resultado que une todas essas qualidades”. A Melhor Direção foi pra Leo Tabosa, por “Dinho”, de Pernambuco. Nas palavras do júri oficial: “A arte de dirigir é para poucos, fazê-lo com excelência menos ainda. O filme consegue conjugar excelência na direção dos atores, na concepção da fotografia e na condução da narrativa”.

O Troféu Mucuripe de Melhor Roteiro, eleito pelo júri oficial, foi para Rodolpho de Barros e Torquato Joel, por “Pulmão de pedra”, da Paraíba. O filme, dirigido por Torquato Joel, foi ganhador também de dois prêmios especiais, o Prêmio da Crítica Abraccine de Melhor Curta-metragem, com júri formado pelos críticos João Paulo Barreto, Lilianna Bernartt e Marcelo Müller, e o Prêmio Canal Brasil de Curta-metragem, que teve no júri jornalistas Marcelo Müller Bruno Carmelo, Renata Boldrini, Lilianna Bernartt, Renato Marafon, André Guerra e Ismaelino Pinto, convidados pelo Canal Brasil. Como forma de incentivar a produção nacional, o vencedor, além do Prêmio, ganha ainda o valor de R$ 15 mil.

O júri da Abraccine elegeu o filme “por simbolizar, através da caverna, o pulmão doente do operário brasileiro, denunciando a insalubridade de quem minera a matéria prima daquilo que não vai usufruir, mas preservando a poesia de Pedros, Raimundos, Josés e Joãozinhos: Cada garimpo é um sonho. Cada sonho é uma ilusão. E para poder sobreviver, ele tem que promover a sua própria destruição”.

O Troféu Samburá de Melhor Curta-metragem da Mostra Competitiva Brasileira, prêmio especial concedido pelo O Povo e Vida & Arte, foi para a produção cearense “Circuito”, de Alan Sousa e Leão Neto, e o troféu Samburá de Melhor Direção foi para Adriana de Faria, por “Cabana”, do Pará. O júri foi composto pelo realizador e editor Abdiel Anselmo de Sousa, a produtora Daniela Curacy Komatsu e a pesquisadora e roteirista Luana Vitorino Sampaio Passos.

Mostra Olhar do Ceará

O filme “Represa”, de Diego Hoefel, foi eleito o Melhor Longa-metragem da Mostra Olhar do Ceará, na escolha do júri oficial da mostra. Além do Troféu Mucuripe, o filme ganhou o Prêmio Hotel Sonata de Iracema, que oferece duas diárias no hotel oficial do 33º Cine Ceará. O Troféu Mucuripe de Melhor Curta-metragem da Mostra foi para “Urubu Aterrado”, de Cris Sousa e Weslley Oliveira. O curta recebe também o Prêmio Unifor de Cinema, no valor de R$ 5 mil.

Nesta edição, o Cine Ceará instituiu dois novos prêmios na Mostra Olhar do Ceará, o de Melhor Direção de Longa-metragem e Melhor Direção de Curta-metragem. Os vencedores foram Tarcísio Rocha Filho, Victor Costa Lopes e Wislan Esmeraldo, pelo longa “Um pedaço do mundo”, e Grenda Costa, pelo curta “O primeiro movimento é explosão”.

Programação On-line

O Cine Ceará continua em exibição, de forma on-line, com uma seleção de curtas e longas da Mostra Olhar do Ceará na Mostra Cine Ceará no Itaú Cultural Play. O acesso à plataforma é gratuito e a lista dos filmes pode ser consultada no site do Cine Ceará.

Leia mais:

33º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema acontece de ​25 de novembro a 1º de dezembro em Fortaleza

Cine Ceará 2023: festival oferece programação gratuita e anuncia os homenageados de sua 33ª edição