Produções, que se dividem entre curtas e longas, podem ser conferidas em plataformas de streaming e gratuitamente no YouTube

Adélia Sampaio, cineasta do Cinema Novo e a primeira mulher negra a dirigir um longa no Brasil. Foto: Reprodução/Caixa de Sucessos

Estamos no Julho das Pretas, agenda política que celebra durante todo o mês de julho, o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha (25/07).

Todos os anos, o Julho das Pretas traz temas importantes e necessários relacionados à superação das desigualdades de gênero e raça, colocando a pauta das mulheres negras em evidência.

A partir disso, Cine NINJA e Pretas e Pretos no Poder se unem para apresentar uma edição especial do Cine Indica com filmes realizados por cineastas pretas, todas brasileiras. As produções, que se dividem entre curtas e longas, podem ser conferidas em plataformas de streaming e gratuitamente no YouTube.

“Rainha” (2016)

Curta/ficção
Direção: Sabrina Fidalgo
Disponível no YouTube

A história de Rita, uma moça cujo sonho é se tornar rainha de bateria da escola de samba de sua comunidade, é a mesma de muitas mulheres no Brasil. Dedicação, perseverança, equilíbrios com os próprios fantasmas e, acima de tudo, luta contra uma realidade injusta e cheia de interesses.

“O Caso do Homem Errado” (2017)

Longa/documentário
Direção: Camila De Moraes
Disponível no Globoplay

O filme conta a história do operário negro Júlio César que, ao ser confundido com um assaltante, foi executado pela Brigada Militar do Rio Grande do Sul, em 14 de maio de 1987.

“Um Dia com Jerusa” (2021)

Longa/ficção
Direção: Viviane Ferreira
Disponível na Netflix

A sensitiva Silvia, uma jovem pesquisadora de mercado, enfrenta as agruras do subemprego enquanto aguarda o resultado de um concurso público. Ao mesmo tempo, a graciosa Jerusa, uma senhora de 77 anos, é testemunha ocular do cotidiano vivido no bairro do Bixiga, recheado de memórias ancestrais. No dia do aniversário de Jerusa, enquanto ela espera a família para comemorar, o encontro entre suas memórias e a mediunidade de Silvia lhes proporciona transitar por tempos e realidades comuns às suas ancestralidades.

“Amor Maldito” (1984)

Longa/ficção
Direção: Adélia Sampaio
Disponível no YouTube

Fernanda e Sueli vivem um tórrido romance. A relação passa por crises e Sueli acaba caindo nos braços de um mulherengo. Grávida e sem apoio, ela se suicida, mas as suspeitas da morte recaem sobre Fernanda.

“Kbela” (2015)

Curta/ficção
Direção: Yasmin Thayná
Disponível no YouTube

Em um olhar sensível sobre a experiência do racismo vivido cotidianamente, mulheres negras descobrem uma força ancestral que emerge de seus cabelos crespos transcendendo o embranquecimento.

“Náufraga” (2018)

Curta/ficção
Direção: Juh Almeida
Disponível no Vimeo

No batuque das ondas, a mulher náufraga desemboca no mar suas memórias.

“Café com Canela” (2017)

Longa/ficção
Direção: Glenda Nicácio, Ary Rosa
Disponível no Prime Video

Após perder o filho, Margarida vive isolada da sociedade. Ela se separa do marido Paulo e perde o contato com os amigos e pessoas próximas, até Violeta bater na sua porta. Trata-se de uma ex-aluna de Margarida, que assume a missão de devolver um pouco de luz àquela pessoa que havia sido importante para ela na juventude.

“As Minas do Rap” (2015)

Curta/documentário
Direção: Juliana Vicente
Disponível no YouTube

No Brasil, as mulheres tardaram a entrar no cenário do rap, e até hoje são raros os grupos ou artistas individuais que alcançaram destaque em suas carreiras. O documentário entrevista mulheres ligadas ao hip hop, abordando o histórico feminino dentro do movimento e dando voz a artistas como Negra Li, MC Gra e Karol Conká.

“Filhas de Lavadeiras” (2019)

Curta/documentário
Direção: Edileuza Penha de Souza
Disponível na AmazôniaFlix

Conheça histórias de mulheres negras que, graças ao trabalho árduo de suas mães, puderam ir para a escola. Suas memórias, alegrias e tristezas se fazem presentes como possibilidade de um novo destino.

Leia mais:

Amor preto: filmes com casais negros para celebrar o Dia dos Namorados

Dia da África: três filmes africanos para celebrar a data e ampliar seu repertório sobre o continente