Todos eles foram ouvidos de maneira simultânea pelos delegados. A PF alega que esses grupos se estruturam com diferentes propósitos, todos convergindo para uma potencial ameaça à ordem democrática

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Investigado por tentativa de golpe de Estado, Jair Bolsonaro (PL) ficou em silêncio durante depoimento à Polícia Federal, nessa quinta-feira (22). Além de Bolsonaro, outros investigados também compareceram à PF para prestar depoimento, incluindo o ex-ministro e candidato a vice-presidente pelo PL nas eleições de 2022, Walter Souza Braga Netto, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, entre outros.

Os depoimentos fazem parte das investigações da Operação Tempus Veritatis, deflagrada pela PF há duas semanas, que investiga uma conspiração para manter Bolsonaro no poder e impedir a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ex-ministro da Justiça de Bolsonaro, Anderson Torres, de acordo com informações da imprensa, falou por quatro horas durante o depoimento.

Um vídeo de uma reunião realizada em julho de 2022, na qual Bolsonaro teria instigado ações para desestabilizar o processo eleitoral, é parte central das investigações.

Todos eles foram ouvidos de maneira simultânea pelos delegados. A PF alega que esses grupos se estruturam com diferentes propósitos, todos convergindo para uma potencial ameaça à ordem democrática.

As investigações também incluem buscas por respostas sobre financiamento da organização de acampamentos golpistas, a preparação do ato do 8 de janeiro, a prática de espionagem ilegal contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e a disseminação de informações falsas.