Foto: AFP/ TELAM

A Human Rights Watch fez duras críticas à atuação de Jair Bolsonaro na crise sanitária devido ao novo coronavírus e afirmou que, além de agir de forma “irresponsável”, o presidente está colocando os brasileiros em “grave perigo”. As afirmações constam de um relatório publicado ontem (11) pela organização, que atua na defesa e na realização de pesquisas sobre os direitos humanos.
.
“O presidente Jair Bolsonaro está colocando os brasileiros em grave perigo ao incitá-los a não seguir o distanciamento social e outras medidas para conter a transmissão da Covid-19, implementadas por governadores no país inteiro e recomendadas por seu próprio Ministério da Saúde”, diz o relatório. “Ele também age de forma irresponsável disseminando informações equivocadas sobre a pandemia”, continua o texto.

Para José Miguel Vivanco, diretor da divisão das Américas da Human Rights Watch, Bolsonaro tem “sabotado” os esforços dos governadores e do seu próprio Ministério da Saúde para conter a disseminação da Covid-19, “colocando em risco a vida e a saúde dos brasileiros”. “Para evitar mortes com essa pandemia, os líderes devem garantir que as pessoas tenham acesso a informações precisas, baseadas em evidências, e essenciais para proteger sua saúde. O presidente Bolsonaro está fazendo tudo, menos isso”, diz Vivanco.

A Human Rights Watch elenca ainda uma série de medidas tomadas por Bolsonaro em meio à pandemia do novo coronavírus, além de declarações feitas pelo presidente. A organização também afirma que, apesar do “risco potencialmente fatal para a saúde dos brasileiros”, desde o início da crise Bolsonaro tem minimizado a gravidade da Covid-19, chamando-a de “gripezinha”, “resfriado” e até de uma “fantasia” criada pela imprensa.