Nomes como Ramy Youssef, Billie Eilish e Ava DuVernay usaram broches em apoio ao povo palestino, que segue sendo atacado em Gaza

Ramy Youssef, Billie Eilish e Ava DuVernay. Foto: David Swanson/AFP (via Getty Images)

O Oscar 2024 não foi apenas um lugar de celebração dos melhores filmes da temporada, mas também uma oportunidade de se posicionar a respeito da crise humanitária provocada pelo conflito em Gaza. No tapete vermelho do maior evento do cinema mundial, artistas de diferentes segmentos usaram um broche do movimento “Artists for Ceasefire” (Artistas pelo Cessar-fogo), aderido por grandes nomes da indústria do entretenimento.

Estrelas como Ramy Youssef, Billie Eilish, Finneas O’Connell, Mahershala Ali, Ava Duvernay, Daniel Scheinert, Swann Arlaud, Riz Ahmed, Eugene Lee Yang e Mark Ruffalo usaram os broches e desfilaram pelo tapete vermelho espalhando a mensagem.

“Estamos pedindo um cessar-fogo imediato e permanente em Gaza. Apelamos à paz e à justiça duradoura para o povo da Palestina”, disse Ramy Youssef (“Pobres Criaturas”) à Variety.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por @cine.ninja

Atores do filme “Anatomia de Uma Queda” também aderiram ao protesto, usando broches com a bandeira da Palestina:

O objetivo dos artistas é chamar a atenção do Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e do Congresso Americano para que um cessar-fogo seja realizado o quanto antes: “Para além da nossa dor e luto por todas as pessoas ali presentes e pelos seus entes queridos em todo o mundo, somos motivados por uma vontade inflexível de defender a nossa humanidade comum. Defendemos a liberdade, a justiça, a dignidade e a paz para todas as pessoas – e um profundo desejo de impedir mais derramamento de sangue”, diz trecho da carta aberta divulgada pelo movimento.

Mahershala Ali e Amatus Sami-Karim, Riz Ahmed e Mark Ruffalo e Sunrise Coigney. Foto: David Swanson/AFP (via Getty Images)

Outro momento que ficará marcado na história do Oscar, foi o discurso potente de Jonathan Glazer, diretor de “Zona de Interesse”, premiado como o Melhor Filme Internacional e Melhor Som. O cineasta, que é judeu, também defendeu o cessar-fogo em Gaza. Veja o momento:

Do lado de fora do Teatro Dolby, também aconteceram alguns protestos e marchas em prol do povo palestino e pelo cessar-fogo em Gaza. Os manifestantes usaram bandeiras da Palestina e cartazes com mensagens contra o genocídio em curso.