O Peru, detentor de 68% das geleiras tropicais do mundo, enfrenta agora desafios decorrentes do aumento das temperaturas

Foto: Arquivo TG

Um recente levantamento divulgado pelo governo do Peru revelou que as mudanças climáticas têm causado um impacto significativo no país ao longo das últimas seis décadas. O estudo, baseado em imagens de satélite coletadas até 2020, aponta que 56% das geleiras tropicais localizadas no território peruano já derreteram devido ao aquecimento global.

O relatório destaca que, em 1962, as geleiras cobriam uma área de 2.399 quilômetros quadrados, enquanto, atualmente, esse número reduziu para 1.050 quilômetros quadrados, abrangendo 2.084 glaciares. A diminuição significativa das geleiras preocupa especialistas, que alertam para possíveis consequências sérias para a população no futuro.

O Peru, detentor de 68% das geleiras tropicais do mundo, enfrenta agora desafios decorrentes do aumento das temperaturas. O derretimento do gelo tem levado à formação de novas lagoas de montanha, com 164 delas formadas ou em processo de formação nos últimos quatro anos. Atualmente, o país conta com 8.466 lagoas glaciais, abrangendo aproximadamente 1.081 quilômetros quadrados.

Especialistas enfatizam a necessidade urgente de medidas de adaptação e mitigação para lidar com os impactos das mudanças climáticas. A situação no Peru destaca a importância de ações globais para combater o aquecimento global e proteger ecossistemas vulneráveis, assegurando a sustentabilidade e a segurança das comunidades afetadas.

O Instituto Nacional de Pesquisa de Geleiras e Ecossistemas de Montanha alerta para os riscos iminentes de inundações devido ao transbordamento dessas lagoas. Com o potencial de causar danos significativos, as comunidades locais enfrentam a ameaça real de inundações, enquanto a escassez de água também se torna uma preocupação crescente.

*Com informações da Reuters