Ministério de Minas e Energia destacou que a empresa não cumpriu com suas obrigações, inclusive não pagando multas impostas pela Aneel devido aos apagões anteriores

Foto: reprodução

O Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, anunciou nesta segunda-feira (01) que o governo Lula acionará a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para abrir um processo disciplinar contra a distribuidora Enel, que pode resultar no fim do contrato de concessão. A empresa é responsável por recentes apagões em São Paulo.

Silveira criticou as privatizações no setor energético, argumentando que os contratos com as distribuidoras são “frouxos” e não garantem um serviço adequado aos consumidores. Ele afirmou que o governo buscará renegociar as concessões para remediar a situação.

O ministro revelou que a Aneel deve emitir uma resposta sobre o processo contra a Enel em aproximadamente 20 dias e alertou que, nos próximos meses, a empresa estará sob um processo de perda de concessão. Ele enfatizou que a medida é radical, porém necessária, como um aviso educativo para outras distribuidoras.

A Enel, uma empresa italiana que assumiu as operações da antiga Eletropaulo em 2018, é considerada a maior distribuidora de energia elétrica do país em número de consumidores. Silveira destacou que a empresa não cumpriu com suas obrigações, inclusive não pagando multas impostas pela Aneel devido aos apagões anteriores.

O recente apagão em São Paulo, ocorrido em 18 de março, afetou diversos bairros, inclusive a região central da cidade e a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, que precisou adiar procedimentos médicos devido à falta de energia.

*Com informações do Poder 360