Grandes conquistas da humanidade se deram graças a mulheres, porém sempre com o reconhecimento do homem.

Quando pensamos em grandes cientistas na história da ciência e tecnologia por exemplo, sempre nos deparamos com nomes masculinos, como do matemático e cientista da computação Alan Turing, o cofundador da Apple Steve Jobs, o presidente da Microsoft Bill Gates, entre outros.

Mas muitas das tecnologias que utilizamos hoje foram construídas por mulheres:

Primeiro algoritmo
A condessa e matemática Ada Lovelace ( Byron, 1815 –1852 ) foi a primeira mulher a criar o primeiro algoritmo para ser processado por uma máquina, a máquina analítica de Charles Babbage, sendo considerado o primeiro programa de computador já criado na história.

Wi-Fi e o Bluetooth
Hedy Lamarr (Viena, 1914 — 2000) foi uma atriz e inventora que possibilitou todas as tecnologias de comunicação sem fio que conhecemos. A invenção surgiu durante a Segunda Guerra Mundial, quando a austríaca e um amigo também inventor criaram um aparelho de interferência de rádio que serviria para despistar radares nazistas.

O primeiro compilador
Grace Hopper foi uma analista de sistemas da Marinha dos Estados Unidos (Nova Iorque 1906 — 1992) e criou o primeiro compilador que levou ao desenvolvimento do Cobol. Hoje em dia o Cobol é utilizado em empresas tradicionais como bancos, seguradoras e redes de varejos.

As 3 mulheres cientistas que levaram o homem à lua
O primeiro voo espacial que levou o homem à Lua só decolou devido a programação das cientistas negras Katherine Johnson (White Sulphur Springs 1918 – 2020), Dorothy Vaughan (Kansas, 1910 — 2008), e Mary Jackson (Hampton, 1921 — 2005)
Essa história até inspirou um filme chamado “Estrelas Além do Tempo”.

Google Adwords, Gmail, Maps entre outros
A cientista da computação Marissa Mayer (Wausau,1975) ajudou no desenvolvimento de diversas ferramentas que utilizamos no Google como: Google Maps, Google Images, Google Books e principalmente no desenvolvimento de Google AdWords.

Apesar disso, nós mulheres somos minoria na área da tecnologia, representamos apenas 20%, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda enfrentamos muitos obstáculos, como desigualdade salarial, abuso ou assédio, falta de oportunidade e muitas outras situações no mercado de trabalho tecnológico.

Um estudo feito por Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) no Estado de São Paulo mostra que a mulheres no setor de TI (tecnologia da informação) recebem 30,4% a menos que os homens em média.

Sexismo
No Reino Unido a organização EveryWoman e a Revista Marie Claire realizaram um estudo, onde 46% das entrevistadas afirmaram já terem passado por um caso de sexismo (termo que define o preconceito de gênero).

Perante isso, é natural que meninas e mulheres sintam-se desencorajadas em direcionar seus esforços para o aprendizado de carreiras atreladas à tecnologia.

É preciso quebrar esse estereótipo engessado e machista que ainda existe na área de tecnologia e incluir, capacitar mais mulheres. Nós revolucionamos o mundo da tecnologia, ainda assim há muito o que se fazer para que a área deixe de ser dominada pelos homens.

Existe uma influência de uma cultura ultrapassada, que dita equivocadamente o é profissão de mulher ou homem. Isso vem desde a nossa infância, onde os meninos são estimulados a brincadeiras que desafiam mais a lógica, mas isso felizmente vem mudando.

Durante muito tempo as mulheres e outros grupos de minorias foram privades de estudar, entre outras coisas básicas, isso deixou marcas que precisam ser reparadas. Por isso é muito urgente e necessário a nossa luta por equidade de gênero e inclusão. Para mudar esse cenário, mulheres incríveis criaram projetos, incentivando, inspirando e preparando muitas manas para área tech.

Conheça 5 projetos que empoderam mulheres na tecnologia:

InfoPreta

A empresa de manutenção de computadores Infopreta tem o objetivo de inserir pessoas pretas, LGBTQI+  e mulheres no mercado de tecnologia.

A infoPreta alia a geração de lucros com projetos sociais de grande impacto, como o projeto Notes Solidários da Preta, que tem como objetivo doar, sem custo algum ao beneficiado, notebooks que estão em bom estado para estudantes que estão cursando o ensino superior 

Site: https://infopreta.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/InfoPreta

Divulgação: Infopreta

PrograMaria

A Programaria tem o objetivo de estimular mulheres a explorar os campos da tecnologia, programação e empreendedorismo, debater a falta de mulheres nesse mercado e promover ferramentas para o aprendizado da programação.

Site: https://www.programaria.org/
Facebook: https://www.facebook.com/programaria

Iana Chann em PrograMaria

Elas programam 

Elas Programam foi criado pela engenheira Silvia Coelho para incluir mais mulheres no mercado de tecnologia, promovendo diversidade e equidade de gênero nas organizações.

https://elasprogramam.com.br/
https://www.facebook.com/groups/elasprogramam
https://dev.to/elasprogramam

Minas Programam

O Minas Programam Promove oportunidades de aprendizado sobre programação para meninas e mulheres, priorizando àquelas que são negras ou indígenas.

https://minasprogramam.com/
ttps://www.facebook.com/minasprograma

RePrograma

A {reprograma} é uma iniciativa de impacto social que foca em ensinar programação para mulheres cis e trans que não têm recursos e/ou oportunidades para aprender a programar.

https://www.reprograma.com.br/
https://www.facebook.com/ReprogramaBr

 

Vamos compartilhar nosso conhecimento, divulgar esses projetos e incentivar mais mulheres, LGBTQI+, indígenas, e pessoas pretas, para uma sociedade mais rica, justa e igualitária. 

Mostre esses projetos para aquela mana que esta pensando em migrar para área tech, ou aquela amiga que esta tentando criar coragem de estudar. Nossa luta continua.

 

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Tatiana Barros

Novos tempos exigem novos palcos

Márcio Santilli

CPI da pandemia acelera declínio de Bolsonaro

Renata Souza

13 de abril: dia de celebração e luta para as mulheres do samba

Estudantes NINJA

Governo Bolsonaro: desrespeito ao Enem, à Educação e ao Futuro

Boaventura de Sousa Santos

A claridade e a escuridão

Álamo Facó

O indígena e a máquina do tempo

Liana Cirne Lins

O julgamento de Lula no STF: é cedo para comemorar?

Fabrício Noronha

Quem sabe do futuro da cultura brasileira?

Lais Gomes

Se é reversível, se joga!

Fabio Py

‘Flores nas encostas de cimento’: o silenciamento e a tomada dos crentes de esquerda na política

Movimento dos Pequenos Agricultores

Movimento dos Pequenos Agricultores no RJ lança novo site para ampliar a comercialização de alimentos agroecológicos

Isabella Queiroz

Ser maker não está à venda

Colunista NINJA

Reviravoltas andinas: eleições no Peru e Equador

Bancada Feminista do PSOL

100 dias de Covas em SP

Amanda Pellini

O que a ciência faz para confiarmos nela?