No dia 11 de agosto, comemoramos o Dia do Estudante, uma data que nos convida a refletir sobre a importância da educação em nossas vidas e a lutar por melhores condições para o ensino no Brasil. Neste ano, duas pautas se fazem urgentes: a defesa do orçamento destinado à educação, bem como a revogação do novo Ensino Médio.

Ao longo da minha trajetória como estudante, aprendi que a educação é o alicerce de um país desenvolvido e justo. É por meio dela que os indivíduos têm a chance de transformar suas vidas e contribuir positivamente para a sociedade. Infelizmente, no Brasil ainda precisamos lutar muito para defender os interesses de todos os estudantes.

A luta pela destinação de um orçamento justo para a educação é essencial para garantir que as escolas possam oferecer uma formação de qualidade a todos os estudantes, independentemente de sua origem social ou econômica. Investir em educação é investir no futuro do país. Precisamos de escolas bem equipadas, professores bem remunerados e programas educacionais abrangentes que estimulem o pensamento crítico, a criatividade e o protagonismo dos estudantes.

Além disso, é fundamental discutir e revogar o novo Ensino Médio, implementado sem um debate amplo com os profissionais da educação e a sociedade. Essa reforma trouxe mudanças significativas na estrutura curricular, reduzindo a carga horária de disciplinas essenciais e priorizando uma formação voltada apenas para o mercado de trabalho, negligenciando a formação integral do estudante como cidadão.

O novo Ensino Médio também impôs desafios para os professores, que se veem sobrecarregados com a necessidade de se adaptarem rapidamente às novas diretrizes e com poucos recursos disponíveis para realizar esse processo de transição. Isso impacta diretamente na qualidade do ensino e no desenvolvimento dos estudantes, afetando a preparação para o ingresso no ensino superior e para a vida adulta.

Diante desses desafios, o Dia do Estudante se torna uma oportunidade para unirmos nossas vozes em prol de uma educação de qualidade. Precisamos conscientizar a sociedade sobre a importância de investir na educação como um meio de construir um futuro melhor para todos.

A educação é um direito fundamental de todos os cidadãos brasileiros. Nossa voz é poderosa e pode influenciar mudanças positivas na política educacional do país. Vamos unir nossas forças para garantir que a educação seja valorizada e respeitada, afinal, é por meio dela que podemos construir uma sociedade mais justa, igualitária e próspera para as futuras gerações.

Então dia 11 de agosto, é dia de mobilizar! Eu estarei com centenas de estudantes às 8 horas da manhã no Vão Livre do MASP, em São Paulo, para que escutem a nossa voz. Venha fazer parte do nosso coro! E para você que está em outro estado, saiba que existem mobilizações em diferentes capitais. Vamos juntos?

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Márcio Santilli

Guerras e polarização política bloqueiam avanços na conferência do clima

Colunista NINJA

Vitória de Milei: é preciso compor uma nova canção

Márcio Santilli

Ponto de não retorno

Márcio Santilli

‘Caminho do meio’ para a demarcação de Terras Indígenas

Jade Beatriz

A luta pela revogação do novo ensino médio: Um compromisso com a educação de qualidade no Brasil

Bancada Feminista do PSOL

Mulheres Negras e a privatização da SABESP

Renata Souza

Dia da Favela: comemorar a resistência

Colunista NINJA

Carta aberta ao povo argentino

Márcio Santilli

Espiral do terror

Jade Beatriz

Fortalecer o Ensino Médio e Combater a Evasão

Ricardo Targino

O elefante do clima nos cristais de Dubai

Eduardo Sá

Douglas Lemos: sambista da nova geração carioca lança mais um álbum

Renata Souza

24 de Novembro: Dia dos Sacerdotes e Sacerdotisas de Matriz Africana

André Menezes

“A COP 28 precisa ouvir quem mora nas favelas”, diz Mateus Fernandes, ativista climático

Mônica Francisco

O futuro mais digno só se fará com as favelas