O ciclo do extremista religioso leva à violência. Passa por medo, aversão, repulsa, desprezo, indiferença e ódio, ambiente adequado para que a violência aconteça.

A bancada parlamentar evangélica, tem como principal característica a intolerância e o extremismo, comumente se associam às bancadas do boi e da bala, pregam a pena de morte o encarceramento em massa, e se articulam nos seguidos golpes aos trabalhadores, tudo em nome de um deus, “com d minúsculo”.

Segundo as pesquisas apontam essas características se distanciam do pensamento da maioria dos evangélicos no Brasil, que não se sentem representados por essa bancada. Confira a coluna do Pastor Henrique Vieira sobre o tema:

 

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Bruno Ramos

Um ano do massacre de Paraisópolis

NINJA

Para Ver a Luz do Sol. 40 anos de reexistência cosmopolítica no Bixiga

Jorgetânia Ferreira

São Paulo merece Erundina

Bancada Feminista do PSOL

Do #EleNão ao Boulos e Erundina sim!

Fabio Py

Dez motivos para não votar no Crivella: às urnas de luvas!

História Oral

O Mitomaníaco e os efeitos eleitorais da Pós-Falsidade

Márcio Santilli

Bolsonaro-Frankenstein: cara de pau, coração de pedra e cabeça-de-bagre

Cleidiana Ramos

O furacão de tristezas que chegou neste 20 de novembro insiste em ficar

Tatiana Barros

Como nasce um hub de inovação que empodera pessoas negras

História Oral

Quando tudo for privatizado, o povo será privado de tudo e o Amapá é prova disso

Colunista NINJA

LGBTI+ de direita: precisamos de representatividade acrítica?

Juan Manuel P. Domínguez

São Paulo poderia ser uma Stalingrado eleitoral

Colunista NINJA

A histórica eleição de uma bancada negra em Porto Alegre

Bancada Feminista do PSOL

Três motivos para votar na Bancada Feminista do PSOL

Carina Vitral da Bancada Feminista

Trump derrotado nos Estados Unidos, agora é derrotar o bolsonarismo na eleição de domingo no Brasil