entrevistas

Marcia Tiburi: “O diálogo com o fascismo não pode ser dócil”

Em entrevista, a escritora e filósofa Márcia Tiburi afirma que o diálogo com um fascista não pode ser dócil, senão uma forma de resistência. “Um fascista é também um cínico. Ante evidências de seus atos antidemocráticos, ele é capaz de negar-los, de modo que ficamos sem reação”.