Marielle Franco. Foto: Mídia NINJA

Conhecemos Mari em agosto de 2016. Estivemos ao seu lado na campanha para vereadora do Rio de Janeiro. Comemoramos a sua eleição histórica. Andamos com Mari pelas ruas da Maré, na Câmara Legislativa, em uma infinidade de atos, comícios, oficinas, festas e encontros.

Narramos com ela os momentos de luta, alegrias e dificuldades até poucos dias antes de sua execução.

Desde então continuamos contando sua história da mesma forma que Mari foi em vida: forte, impactante ao mesmo passo que leve e vibrante. Nos unimos à sua família em agendas dentro e fora do país, em em vários momentos onde mantemos acessa a chama da esperança de justiça por ela.

Essa parceria gerou um forte legado visual que reunimos no banco Marielle por NINJA, disponível em Creative Commons para todas e todos que queiram perpetuar sua memória com o respeito que merece. Nessas imagens se registram um pouco da nosso amor à figura história que ela foi.

A cada 14 de março, fotos e outras imagens do rosto dela inundam as redes sociais. Do seu retrato oficial na Wikipedia até a que figurou na porta da prefeitura de Paris, para nós e muita gente gente isso representa uma série de memórias que tivemos com Marielle Francisco da Silva.

Por isso, hoje e sempre seguimos perguntando:

QUEM MANDOU MATAR MARIELLE?

Fotos Mídia NINJA por Joana Diniz, Oliver Kornblihtt, Gian Martins e Bernardo Guerreiro.

Foto: Bernardo Guerreiro / Mídia NINJA

Foto: Joana Diniz / Mídia NINJA

Foto: Mídia NINJA

Foto: Mídia NINJA

Foto: Mídia NINJA

Foto: Bernardo Guerreiro / Mídia NINJA

Foto: Mídia NINJA

Foto: Mídia NINJA

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Juan Espinoza

Você sabe se Lula já é presidente?

Colunista NINJA

De mais uma COP de ‘blá blá blá’ para um acordo global pela infância

Juan Manuel P. Domínguez

O sinistro do golpismo

Juca Ferreira

Vencer ou vencer!

Observatório das Eleições 2022

Em SP, Lula amplia votação do PT em todas as cidades. Bolsonaro perde votos em 3 a cada 4 municípios

Márcio Santilli

Intervenção extraterrestre

Márcio Santilli

A arca do Lula

Juan Manuel P. Domínguez

Haiti, a revolução da consciência negra

Márcio Santilli

Valdemar manobra para segurar Bolsonaro

Jorgetânia Ferreira

Mataram João do Teatro em Araguari, Minas Gerais

Rede Justiça Criminal

Como o bolsonarismo resiste no Congresso e a mobilização da sociedade civil também

Colunista NINJA

80 anos de Paulinho da Viola e seu feitiço maduro

Observatório das Eleições 2022

Um Ministério dos Povos Originários: algumas reflexões sobre a proposta de Lula

Observatório das Eleições 2022

Eleitores do exterior dão a Lula sete pontos de vantagem sobre Bolsonaro, mas são esquecidos pelos analistas