Reprodução / Adele

Adele postou essa foto dela hoje para comemorar seu aniversário e assim as pessoas descobriram que ela era bonita. Engraçado, porque ela sempre atendeu a todos os padrões de beleza: branca, olhos claros, nariz fino, loira, cis, boca carnuda no tamanho aceitável… mas não era uma coisa: MAGRA. Por isso não era lida como “bonita”. Ela, clássica desse jeito, representava a quebra de padrões!

Ao longo de sua carreira a gordofobia atravessou sua vida de várias formas – Adele chegou a ter que pedir no começo da carreira pra não comentarem sobre o seu peso nas entrevistas, porque isso não interferia em sua voz. Quando engravidou, o comentário geral é de que não faria diferença, já que barriga de grávida não aparece em gente gorda.

Agora magra, metade pergunta se ela está deprimida, a outra a parabeniza perguntando qual foi sua dieta.

Mais uma vez, o peso de uma pessoa se tornou mais importante do que quem ela é. E adele não é qualquer uma: 120 milhões de discos vendidos, 15 Grammys vencidos, 18 Billboard Awards, 5 AMAs, 1 Oscar, 1 Globo de Ouro, além do álbum mais vendido na história do iTunes, uma história branca de sucesso.

Por aqui, eu fico pensando quantas meninas brancas vão ficar sem comer essa semana, porque afinal Adele finalmente foi aceita e elas também querem ser.

E quantas minas pretas tiveram certeza hoje de que nunca serão.
#Gordofobia #GordofobiaNãoÉPiada #Adele .

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Boaventura de Sousa Santos

A difícil construção do contemporâneo e do complementar

Gabriel RG

A cruzada do fundamentalismo capitalista contra a ciência

Ana Claudino

Seu silêncio não vai proteger você

Amara Moira

Manifestações em tempos de pandemia

Marielle Ramires

Democracia com luta, ou não haverá

Carina Vitral

Combater o fascismo é uma emergência

SOM.VC

CALL CENTER - Encontros Webnaries Performance and Música

Randolfe Rodrigues

Liberdade de imprensa é valor inalienável da sociedade civil

Dríade Aguiar

O que deveríamos estar fazendo no "Blackout Tuesday"

Fred Maia

Quando a montanha pariu um monstro

transpoetas

Demétrio Campos, presente!

André Barros

Viva Marielle! Fora Bolsonaro!

Movimento dos Pequenos Agricultores

Se não plantar agora, a fome virá em seguida

Tulio Ribeiro

Vingança! Viva o Rei Messias!

Luiz Henrique Eloy

Terras indígenas na pauta do Supremo: Teoria do indigenato versus marco temporal