A disputa de narrativas sobre a troca de mensagens entre o então juiz federal Sérgio Moro e o procurador da operação Lava-Jato Deltan Dallagnol teve mais um capítulo no último domingo (16/06).

Um grupo de perfis – grande parte com características de propaganda computacional (robôs) – deu popularidade à hashtag #showdopavão no Twitter, a partir tarde de domingo.

A maioria dos posts continha notícias falsas contra o jornalista Glenn Greenwald, um dos responsáveis pelo site The Intercept Brasil que está publicando as conversas entre Moro e Dallagnol. Entre as desinformações espalhadas especialmente a partir da conta @opppavaomisterio estão a acusação de que Glenn defende o nazismo ou que tem relações com os hackers russos que teriam invadido os celulares do juiz e do procurador da Lava-Jato.

A partir de uma coleta de todas as publicações feitas no Twitter com a hashtag #showdopavão entre a tarde e a noite do dia 16, analisamos as imagens que circularam vinculadas a esses posts. Durante as primeiras seis horas do evento, foram publicados mais de 77 mil tweets e retweets, originados de cerca de 18 mil usuários. Esse recorte de tempo mais curto se justifica por compreender a gênese do movimento. Depois desse período atores mais alinhados na defesa de Greenwald entraram em ação, assim como o próprio jornalista, o que deu outra dinâmica ao termo #showdopavão.

Deste conjunto de tweets capturamos aproximadamente 2.500 imagens e, após processamento, disponibilizamos para visualização dinâmica e interativa de tipo “Pulsão de Imagens”. A “Pulsão de Imagens” é uma visualização de dados que utiliza a linguagem JavaScript com biblioteca D3.js (Data-Driven-Documents) e tem como principais elementos analíticos as cores predominantes das imagens, e as interações destas ao longo do tempo.

A visualização foi planejada para ser publicada e executada em um servidor web. O período temporal em horas está abaixo do eixo “X”, que mostra uma escala cromática indo do branco ao lilás; o volume de compartilhamentos da imagem é o eixo “Y”; o diâmetro do círculo que representa cada imagem aumenta ou diminui em função da popularidade do tweet no qual a imagem está vinculada. O usuário pode analisar cada período clicando no controlador e avançando ou retrocedendo a sua exibição. O ícone play exibe a visulização de modo automático. Caso o usuário queira analisar o tweet de origem da imagem basta clicar no círculo e a publicação será aberta em outra aba do browser que estiver usando.

Memes, desinformação e preconceito

As imagens que circularam no Twitter podem ser divididas em dois grandes grupos. Um reúne prints e republicações das supostas articulações de Glenn com hackers para pagar pela vaga de deputado federal que seu marido ocupou quando o deputado eleito Jean Wyllys decidiu não assumir em função das ameaças de morte que vinha sofrendo. Esses prints aparecem nas regiões de verdes e brancos na visualização. Nos cinzas estão imagens do jornalista ao lado de um homem com inscrição da suástica, na tentativa de associar o responsável pelas publicações que lançaram dúvida sobre a imparcialidade da Lava-Jato com movimentos neo-nazistas.

Já outro conjunto aglutina imagens de Glenn Greenwald associado a pavões, como se o vencedor do Oscar e do prêmio Pulitzer estivesse usando as mensagens da Lava-Jato para se promover.

Fica evidente ainda nas imagens da origem do movimento #showdopavão a atuação coordenada de alguns perfis, que avisam que a “Operação” iria começar, como pode ser observado nas imagens dos primeiros tweets. Além disso, festejam o “sucesso” da empreitada.

*Por Fábio Goveia, professor da Universidade Federal do Espírito Santo e professor visitante da City – University of London. Coordenador do Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura (Labic).

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Bruno Ramos

Um ano do massacre de Paraisópolis

NINJA

Para Ver a Luz do Sol. 40 anos de reexistência cosmopolítica no Bixiga

Jorgetânia Ferreira

São Paulo merece Erundina

Bancada Feminista do PSOL

Do #EleNão ao Boulos e Erundina sim!

Fabio Py

Dez motivos para não votar no Crivella: às urnas de luvas!

História Oral

O Mitomaníaco e os efeitos eleitorais da Pós-Falsidade

Márcio Santilli

Bolsonaro-Frankenstein: cara de pau, coração de pedra e cabeça-de-bagre

Cleidiana Ramos

O furacão de tristezas que chegou neste 20 de novembro insiste em ficar

Tatiana Barros

Como nasce um hub de inovação que empodera pessoas negras

História Oral

Quando tudo for privatizado, o povo será privado de tudo e o Amapá é prova disso

Colunista NINJA

LGBTI+ de direita: precisamos de representatividade acrítica?

Juan Manuel P. Domínguez

São Paulo poderia ser uma Stalingrado eleitoral

Colunista NINJA

A histórica eleição de uma bancada negra em Porto Alegre

Bancada Feminista do PSOL

Três motivos para votar na Bancada Feminista do PSOL

Carina Vitral da Bancada Feminista

Trump derrotado nos Estados Unidos, agora é derrotar o bolsonarismo na eleição de domingo no Brasil