Foto: Mídia NINJA

Foto: Mídia NINJA

O Orum está em festa para receber Mãe Beata de Iemanjá, falecida nessa madrugada. Beatriz Moreira Costa, nascida em 20 de janeiro de 1931, em Cachoeira do Paraguaçu, Recôncavo Baiano, filha de Maria do Carmo e Oscar Moreira, teve a mãe e o pai como exemplos de vida. Na década de 1950, Beata mudou-se para a cidade de Salvador, onde foi iniciada no candomblé por Mãe Olga do Alaketu.

Mesmo presa a princípios tradicionais em razão da influência de uma família patriarcal tornou-se de vanguarda ao fazer cursos de teatro amador e participar de grupos folclóricos. Casou-se com Apolinário Costa com quem teve quatro filhos. Em 1969 Beata separou-se de seu marido e migrou com os filhos para o Rio de Janeiro em busca de melhores condições de vida.

Foi na família-de-santo que Mãe Beata encontrou acolhimento e onde ergueu seu quilombo de ancestralidade e fé, exemplo de resistência da mulher negra.

Hoje a Mídia NINJA se solidariza com nosso parceiro e seu filho Aderbal Ashogum, e com toda a família do Ilê Omi Oju Arô, comunidade na qual Mãe Beata será sempre a sacerdotisa suprema e onde atuou em diversas frentes: religião e saúde, luta contra formas de discriminação e intolerância religiosa, cultura da paz, acesso à educação, ações afirmativas, direitos humanos e movimentos de mulheres negras.

Cumpriu uma imensa missão e deixa um enorme legado de ancestralidade, resistência e fé. Sua luz jamais se apagará!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Roger Cipó

Carta a Raull Santiago

Renata Souza

A festa é nossa, o corpo é meu!

Boaventura de Sousa Santos

O desenvelhecimento do mundo

Preta Rara

Ministro Paulo Guedes, fui empregada doméstica e preciso te dizer uma coisa

Roger Cipó

A racialização do homem branco que se faz de régua e regra

Jonas Maria

Trans nos esportes: o projeto, a incoerência e a transfobia

André Barros

Politizar é carnavalizar

Ana Claudino

Feminismo, Big Brother, bolhas e classes sociais

Ana Júlia

Continuaremos a apoiar meninas e mulheres na ciência?

Daniel Zen

Acessibilidade e portabilidade à prova da ignorância

Victoria Henrique

Trabalhadores do RJ que vendem água mineral na rua para você, sequer têm água mineral em casa para beber

Jorgetânia Ferreira

Somos todas domésticas?

Tatiana Barros

Madá, o ciberespaço e a história da internet

Daniel Zen

Um Posto Ypiranga sem combustível

Randolfe Rodrigues

A demagogia governamental contra o Bolsa Família