O evento acontece entre 12 e 20 de agosto em Gramado, no Rio Grande do Sul

O diretor Joel Zito Araújo e a atriz gaúcha Araci Esteves são importantes figuras do audiovisual brasileiro

A organização do Festival de Cinema de Gramado anunciou os nomes dos primeiros homenageados da 50ª edição do evento: a atriz gaúcha Araci Esteves e o diretor Joel Zito Araújo, importantes figuras do audiovisual brasileiro.

A dupla receberá os Troféus Cidade de Gramado, que será destinado à Araci; e o troféu Eduardo Abelin, para Joel.

Com sólida carreira no teatro, cinema e televisão, Araci Esteves é uma emblemática personalidade da história do audiovisual gaúcho. Nascida em Osório, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, mudou-se para Porto Alegre ainda no começo dos anos de 1950, onde posteriormente viria a cursar artes dramáticas na Universidade Federal do Estado (UFRGS). Foi uma das fundadoras do Grupo de Teatro Independente, inspirado pelos paulistanos Teatro de Arena e Teatro Oficina. Durante a década de 1970, viajou pela Europa com a Companhia de Comédias, onde atuou ao lado de grandes nomes como Dercy Gonçalves.

Seu primeiro trabalho no cinema foi no filme “Um é pouco, dois é bom” (1970), do diretor Odilon Lopez. Este seria apenas o primeiro das mais de duas dezenas de trabalhos da atriz nas telas. Em 2022, completam-se 25 anos de seu mais simbólico papel, a andarilha Anahy, no longa “Anahy de las Misiones” (1997), de Sérgio Silva – filme considerado um marco para o cinema gaúcho e brasileiro. Em 2017, Araci deu vida à Anahy uma última vez, para entregar o Troféu Oscarito à atriz Dira Paes, com quem contracenou em 1997. “A maior atriz gaúcha de todos os tempos”, bradou Dira no palco do Palácio dos Festivais após ser surpreendida com a homenagem da atriz.

Foto: Divulgação

Sua última passagem nas telas de Gramado foi em 2018, com “O Avental Rosa” (2018), dirigido por Jayme Monjardim. O amor pelo cinema e por Gramado é tão forte que Araci se tornou gramadense de coração, escolhendo a cidade como seu lar. “Me enternece porque é um acolhimento da cidade que eu escolhi para viver os últimos longos anos da minha vida”, diz.

Em reconhecimento ao trabalho realizado em prol do cinema brasileiro, do Festival de Cinema de Gramado e da cidade, a atriz Araci Esteves será homenageada com o Troféu Cidade de Gramado.

Premiado diretor conhecido por tematizar o negro na sociedade brasileira, Joel Zito Araújo receberá o Troféu Eduardo Abelin, honraria entregue a diretores, cineastas e entidades do cinema brasileiro.

Foto: Divulgação

Cineasta, roteirista e produtor, Araújo é doutor em Ciências da Comunicação pela ECA/USP e fez pós-doutorado no departamento de rádio, TV e cinema na University of Texas, em Austin, nos Estados Unidos, onde também foi professor. Em 1999, finalizou seu primeiro longa para a televisão, o documentário “O efêmero estado União de Jeová”, sobre uma revolta camponesa liderada por negros no norte do Espírito Santo. Em 2004, estreou seu primeiro longa-metragem de ficção, “Filhas do Vento”, vencedor de oito Kikitos no Festival de Gramado. O aclamado longa teve ainda participações em festivais na Índia, China, França, Alemanha, Estados Unidos, África do Sul e Burkina Faso. Reconhecido internacionalmente, lançou, em 2013, o documentário “Raça”, filme co-dirigido com a vencedora do Oscar Megan Mylan. Em 2019, fez a premiére mundial do longa “Meu amigo Fela” no Festival de Rotterdam.

Seu novo longa ficcional, “O Pai da Rita” (2022), baseado em uma música de Chico Buarque, está em cartaz nos cinemas após ter passado por festivais em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. Em maio deste ano, lançou a série “PCC – Poder Secreto”, em parceria com a plataforma de streaming HBO Max. A produção estreou como Top 1 no Brasil e despontou como Top 2 na América Latina.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Andressa Pellanda

Da receita estragada de Bolsonaro ao banquete saboroso da educação libertadora

Observatório das Eleições 2022

Por que o problema da desinformação persiste, quatro anos depois da eleição de Bolsonaro

Observatório das Eleições 2022

A fragilidade do nosso apoio à democracia

Márcio Santilli

Bolsonaro poderá renunciar

Fabio Py

O céu se comoveu no domingo

Márcio Santilli

As presidenciáveis

Juan Espinoza

Defesa dos direitos das mulheres na comunidade pan-amazônica

Observatório das Eleições 2022

Votamos sozinhos, mas fazemos política em grupo: ação coletiva e eleições

FODA

Mulheres negras: potência política em defesa da vida

Márcio Santilli

Bolsonaro confessa ao mundo sua intenção golpista

Rede Justiça Criminal

Você sente segurança com mais prisões e polícia?

Campanha em Defesa do Cerrado

Júri do Tribunal Permanente dos Povos condena estados e empresas por genocídio de povos do Cerrado

Márcio Santilli

Bancada Indígena

Juan Manuel P. Domínguez

Bolsonarismo e satanismo, uma relação estreita

Bancada Feminista do PSOL

Liberdade é não ter medo: um basta à cultura do estupro!