Arte: @porracristo / @designativista

O imperador romano Nero mandou incendiar Roma e ficou se deleitando da destruição tocando uma lira, pois se considerava um “artista”.

Bolsonaro não é um “artista”, muito pelo contrário, odeia artistas, mas imita Nero no seu instinto de destruição e manda tocar fogo no Brasil. Deleita-se da destruição do país não com uma lira, mas com suas fake news.

Mas Bolsonaro não imita Nero apenas como incendiário, mas também na perseguição aos seus inimigos. Quem não estiver com ele está contra ele, só não manda matar como fazia Nero porque não pode, mas bem que gostaria.

Ele destrói o pulmão do mundo, a selva amazônica, literalmente pelo fogo. Os focos de incêndio são tantos que a fumaça atinge São Paulo. O mundo, apavorado, começa a ficar asfixiado com tanta barbaridade e irresponsabilidade.

Bolsonaro age também como o bárbaro Átila, que por onde passava deixava um rastro de destruição e morte. Ele destrói não apenas o meio ambiente, mas também a economia, o emprego, a educação, a saúde, a cultura, os direitos humanos, sociais e civis e a soberania de nosso país.

Com certeza muitos dos que votaram em Bolsonaro não tinha a menor ideia de quem ele era de fato. Por isso vem crescendo tanto o número de arrependidos.

Bolsonaro é tão ruim quanto Nero e Hitler juntos. Parece até a versão atual das “Sete Pragas do Egito”, só que em maior número. Mas podemos destacar sete de suas maldades:

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Boaventura de Sousa Santos

O desenvelhecimento do mundo

Preta Rara

Ministro Paulo Guedes, fui empregada doméstica e preciso te dizer uma coisa

Roger Cipó

A racialização do homem branco que se faz de régua e regra

Ivana Bentes

As ricas também sofrem!

Renata Souza

E o pessoal dos Direitos Humanos? 

André Barros

Politizar é carnavalizar

Ana Claudino

Feminismo, Big Brother, bolhas e classes sociais

Ana Júlia

Continuaremos a apoiar meninas e mulheres na ciência?

Daniel Zen

Acessibilidade e portabilidade à prova da ignorância

André Barros

ARESP 1625710/RJ do plantador de maconha

Tatiana Barros

Madá, o ciberespaço e a história da internet

Daniel Zen

Um Posto Ypiranga sem combustível

Randolfe Rodrigues

A demagogia governamental contra o Bolsa Família

Ana Claudino

O amor camarada sapatão

Cleidiana Ramos

O culto a São Lázaro faz lembrar dos corpos que se deseja esquecer