Foto: Mídia NINJA

Um 1º de Maio verdadeiramente histórico ocorreu no Brasil nesse triste ano de 2019. Histórico, porque ali, na Vale do Anhangabaú, todas as Centrais Sindicais estavam unidas contra a reforma da Previdência e pela Greve Geral marcada para o dia 14 de junho.

Uma unidade formada para enfrentar um governo que representa a violenta ofensiva do grande capital contra todos os direitos da classe trabalhadora.

Unidade que também luta pela sobrevivência e reorganização do movimento sindical que Bolsonaro pretende destruir.

Sem contar com uma base organizada, enfrentando o desmonte dos sindicatos e em meio ao enorme desemprego, a Greve Geral precisa ser vista não como a “batalha final”, mas como parte de um processo de acumulação de forças para ampliar a resistência popular ao fascismo governante, que esmaga todas as conquistas históricas dos trabalhadores.

A unidade da classe trabalhadora em torno da Grave Geral é o aspecto mais importante desse 1º de Maio e aquele que todos nós devemos fortalecer. Na esteira dessa luta estaremos ajudando a reconstruir os sindicatos com bases mais fortes.

Por isso, a exigência do momento atual para as esquerdas é focar na principal tarefa de luta e deixar de lado as divergências políticas do movimento sindical, que se tornaram secundárias diante dos enormes desafios da luta contra fascismo e o retrocesso.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Ana Claudino

Seu silêncio não vai proteger você

Amara Moira

Manifestações em tempos de pandemia

Marielle Ramires

Democracia com luta, ou não haverá

Colunista NINJA

Vivemos também uma pandemia de horror

Daniele Apone

Vamos salvar nossa economia?

SOM.VC

CALL CENTER - Encontros Webnaries Performance and Música

Randolfe Rodrigues

Liberdade de imprensa é valor inalienável da sociedade civil

Dríade Aguiar

O que deveríamos estar fazendo no "Blackout Tuesday"

Fred Maia

Quando a montanha pariu um monstro

Daniel Zen

Aspectos jurídicos polêmicos sobre o inquérito das fake news

André Barros

Viva Marielle! Fora Bolsonaro!

Movimento dos Pequenos Agricultores

Se não plantar agora, a fome virá em seguida

Tulio Ribeiro

Vingança! Viva o Rei Messias!

Luiz Henrique Eloy

Terras indígenas na pauta do Supremo: Teoria do indigenato versus marco temporal

Talles Lopes

É pior do que parece…