Top Secret Rosies, as primeiras programadoras do mundo, durante a 2ª Guerra Mundial. Arte: Mídia NINJA

Quem inventou o primeiro algoritmo? Ou quem inventou o primeiro software? Ou ainda quem foi a primeira pessoa a programar? Quem fez os cálculos para a nave decolar e o homem pisar na lua? Com quase toda a certeza eu arriscaria dizer que, no seu imaginário, mesmo não sabendo o nome da pessoa, você está pensando em nomes masculinos! Errado!

Para TODAS essas perguntas e para algumas mais a resposta é: foram MULHERES!

Ada Lovelace desenvolveu o primeiro algoritmo a ser processado por uma máquina. Grace Hopper foi a criadora daquele que é considerado o primeiro software de computador. Hedy Lamarr inventou o bluetooth, wifi e GPS. A Tops Secrets Rosies foram um grupo de mulheres que, durante a Segunda Guerra Mundial, se tornaram as primeiras programadoras do mundo. Katherine G. Johnson, mulher negra – destaco “mulher negra” porque além de explorar um campo marcado pelo machismo, ela precisou superar o racismo e a segregação – era responsável na NASA por determinar o tempo de lançamento da nave rumo ao espaço.

Em síntese: foram as mulheres que inventaram a computação.

.

Katherine G. Johnson, Grace Hopper, Ada Lovelace, Hedy Lamarr

Contra fatos não há argumentos: elas foram invisibilizadas.

Por que isso aconteceu? Simples, quando a tecnologia era uma área nova e não dava dinheiro as mulheres estavam lá, assim como quando criaram a cerveja – não gente, não foram os homens que criaram a cerveja! Mais tarde, quando essa área se desenvolveu e se tornou uma área importante no mercado, os homens passaram a ocupar estes espaços. Como tudo, né?

E ainda hoje temos que ouvir que a falta de profissionais mulheres no mercado de TI costuma ser “falta interesse da parte das mulheres” – rindo litros. A “culpa” é sempre nossa, tinha me esquecido disso! Convenhamos que não é preciso estar sondando as fronteiras da genialidade para saber que o ambiente predominantemente masculino e, na maior parte das vezes machista, é o problema e não nas mulheres.

Se não bastasse ter que ouvir isso como argumento, ainda corremos o risco de alguém dizer: “as inteligências são diferentes, as mulheres preferem as carreiras de humanas às de exatas”.

Existe diferença da inteligência entre homem e mulher?  Há diversas pesquisas que essa “coisa” de homem ser mais inteligente do que mulher não existe. E sabe por que isso? Por que de uns tempos para cá as meninas estão recebendo educação com a mesma qualidade que os meninos.

E estão – nossos pais e educadores – aos poucos, parando de nos forçar a brincar de bonecas, porque também passamos a questionar, a pegar o lego, o carrinho, a espaço nave e sair brincando! Se arriscar perguntar para uma menina o que quer ser quando crescer, você não vai mais ouvir “quero ser dona de casa” , mas sim um “quero ser presidenta”.

Esse vídeo aqui é ótimo para entender o que estou falando:

Eu poderia seguir aqui dando inúmeros argumentos: maschistas que são usados para justificar o porquê as mulheres são minorias na área de tecnologia e em tantas outras áreas. Chega uma hora que haja oxigênio no mundo para tanta respiração profunda que as mana fazem para exercitar a paciência revolucionária, trabalhar pedagogicamente e colaborar na desconstrução dos homens.

Mas é difícil ter de aceitar que em pleno século 21, somos tão antiquados e retrógrados que não conseguimos abandonar os preconceitos de gênero.

E já não estamos mais falando de áreas de atuação, a TI é um micro setor dentro deste universo chamado sociedade. Precisamos provocar as pessoas para que observem as situações do dia a dia, para entenderem como se dão essas dinâmicas de machismo e patriarcado, pois muitas vezes elas são praticamente disfarçadas e veladas.

Esse artigo começou de um jeito e parece estar terminando de outro? Nâ Na Ni Na Não!

Isso tudo para reforçar e dizer que essas mulheres incríveis foram as precursoras de uma nova era civilizatória que estamos vivendo. A democratização do acesso de novos meios de produção e conhecimento se dá muito por conta do desenvolvimento das tecnologias.  E reconhecer que foram mulheres que nos proporcionaram isso é o mínimo.

Basicamente é compreender que se não fosse uma mulher, o homem não teria pisado na lua!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Daniel Zen

Jair Bolsonaro e Gladson Cameli: o tiozão do churrasco e seu sobrinho dileto

Felipe Milanez

Assassinato de indigenista da Funai na Amazônia precisa de investigação federal

Mônica Horta

Moda democrática e o novo mundo

Estudantes NINJA

O Brasil está em chamas e a rua te chama

Benedita da Silva

Benedita da Silva: Bolsonaro imita Nero

NINJA

Toninho Geraes: “Sou a favor do grito de liberdade contra essa tirania que assola o país”

NINJA

O escândalo das eleições gerais em Trinidad & Tobago

NINJA

“Precisamos ter voz para acabar com essa onda da extrema direita”, alerta Teresa Cristina

NINJA

Feminismo nas igrejas: "não queremos tomar o poder dos homens, mas destituí-lo"

Liana Cirne Lins

Brasil abaixo de fezes, cocô por cima de todos

Estudantes NINJA

Um (quase) final de ano de tantos retrocessos

NINJA

“Não colem em mim esse discurso da meritocracia”, diz Conceição Evaristo

Preta Rara

A senzala moderna é o quartinho da empregada

NINJA

A criminalização do aborto e o feminicídio de Estado

NINJA

“O samba é a coisa mais importante na cultura brasileira”, ressalta Zé Luiz do Império