“Fazer com que essa luta que vem dessa galera que veio antes de mim, que são meus ancestrais, ela repercute no meu corpo e faz com que eu lute para quem venha depois de mim.”

Andrea Bak tem 20 anos, é escritora, poeta, atriz, rapper e está candidata à vereadora no Rio de Janeiro pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

Sua trajetória tem início no Movimento Estudantil, defendendo uma educação pública de qualidade para todas e todos, desde sempre marcada pelo ativismo nos movimentos sociais, fortificado pelas pautas raciais, de gênero e LGBTQIAP+, e também na literatura e nos movimentos de Sarau Poético. Além de ser comprometida em desenvolver sempre um diálogo franco com a periferia, compreende a importância de se fazer uma política horizontal onde as mulheres e a juventude se sintam representados.

“Eu estou vindo como candidata à vereadora pelo PSOL carioca para potencializar meu ativismo, fazer com que tudo isso que eu luto tenha uma estrutura institucional para fazer valer o que a gente questiona e o que a gente quer como mudança nessa cidade.”

O  protagonismo que a candidatura de Bak defende não acontece apenas nas ruas, nos espaços de lazer ou em casa, mas também, e principalmente, na luta institucional. É lá que a vida do trabalhador é discutida e definida. O protagonismo de luta do povo preto e favelado, que é vítima neste exato momento, é fundamental. Diante desse cenário, eleger candidaturas jovens e revolucionárias é o caminho para restaurar e fortalecer a democracia.

Acesse Pretas e Pretos no Poder e conheça candidatas incríveis em todo o Brasil.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Marielle Ramires

O Brasil com S é maior que Bolsonaro

William Filho

Maconha no Brasil: o que esperar de 2021?

Djeff Amadeus

Cabe desobediência civil para impedir o Enem no Domingo

Camarada Gringo

Com a invasão do Capitólio, o imperialismo chega em casa

Gabriel RG

Assange está mais longe da extradição, mas o jornalismo segue perto do fim

Tatiana Barros

Artista faz streaming na Twitch TV para ensinar tudo que aprendeu gratuitamente usando várias tecnologias, principalmente a impressora 3D

Márcio Santilli

A ciência e o capital contra a pandemia

Dríade Aguiar

Uma sentença, uma celebração e uma promessa

Márcio Santilli

A resistência dura e vitoriosa dos Ashaninka do Rio Amônia

Cleidiana Ramos

Precisamos desarmar nossas bombas de ódio

Bernardo Gonzales

Fotos 3x4, transexualidade e as violências cisheteronormativas

Jorgetânia Ferreira

Manifesto das mães contra a volta às aulas presenciais em Uberlândia

Bancada Feminista do PSOL

Por que o MBL tem medo dos mandatos coletivos?