Programação acontece de 01 a 11 de julho com workshops, masterclasses, cápsulas e apresentações de artistas como MC Tha, Romero Ferro, Gab Ferreira, Boogarins, Déborah dos Falsetes e Badsista

GARANTA SEU PASS

Um novo festival para os novos tempos e mais plural do que nunca. O Coquetel Molotov sai um pouco do ar em seu formato físico e parte para a Internet em uma programação completamente online. Entre os dias 01 e 11 de julho, o público terá a chance de participar desta experiência que envolve música, conhecimento, bem estar e interatividade com múltiplas vozes e estilos.

Com patrocínio de TNT Energy Drink e Itaipava, apoio do 1/4 Fest, Mídia Ninja, Senta, S.O.M, OGrito!, Tenho Mais Discos Que Amigos! e Continente e realização da Coda Produções, o Coquetel Molotov.EXE apresenta em vários dias uma série de atividades que tem por destaque a presença de artistas como Romero Ferro, Tássia Reis, MC Tha, Déborah dos Falsetes, Noporn, Boogarins, Giovani Cidreira, Badsista e Cleiton Rasta, entre outros 30 artistas em apresentações inéditas, além de performances, workshops e masterclasses no projeto Call Center.

Parte da programação será realizada pelo IGTV (Instagram) e outra parte pelo Zoom através da plataforma Sympla Streaming com ingressos em um valor simbólico de R$ 5,00. Este ingresso garante ao público o acesso às apresentações no dia 11 de julho que concentram as lives em salas simultâneas ao longo da maratona de mais de 12h de música a partir das 17h do sábado. O valor arrecadado com os ingressos irão para a Ecovida Cooperativa Palha de Arroz localizada no Arruda e que é formada apenas por mulheres catadoras de materiais recicláveis. A cooperativa já recebeu projetos como o Pimp Nossa Cooperativa, além de oficinas técnicas aliadas a formações sociopolíticas em gênero e empoderamento feminino.

Desde que os protocolos de isolamento social entraram em vigor, o mundo da produção cultural tem se confrontado com panoramas complexos e mais desafiadores. É sob esta perspectiva que surge o Coquetel Molotov.EXE. “A partir de agora temos oficialmente duas versões de festival, uma versão online e uma presencial. Este evento não é simplesmente uma programação de lives, mas um grande evento com curadoria de roteiro e programação digital focada em expandir e experimentar novos modelos que se relacionam com a música e a arte”, esclarece Ana Garcia, diretora do festival. 

O núcleo de produção do Coquetel Molotov.EXE têm vivenciado e participado de diversos eventos online brasileiros e internacionais percebendo as tendências realizadas neste ano atípico onde os eventos musicais também estão se reinventando. O festival começou a entender que a experiência online também é um vetor de participação do público. “O fato de não termos o evento no formato tradicional não pode ser considerado como algo que faça o nosso público deixar de vestir os seus looks, colocar as suas maquiagens ou afirmar a sua identidade. A única diferença agora é que o roteiro mudou, mas acreditem que estamos trabalhando para que seja uma experiência única”, detalha Ana Garcia.

Oficinas – Antes do dia de apresentações musicais, o Coquetel Molotov.EXE traz ao longo da primeira semana de julho uma série de ações que incluem workshops de música, dança, maquiagem e ativismo. As oficinas acontecem à tarde e à noite com temas variados. Nos dias 1 e 3 de julho, às 15h, Benke Ferraz, guitarrista do Boogarins mostra uma oficina de produção musical a baixo custo que fornece elementos para que tanto músicos iniciantes quanto profissionais já estabelecidos possam gravar músicas com equipamentos à sua disposição. No dia 2 às 19h, a ciborgue e voodoo queen Alma Negrot apresenta um workshop de maquiagem criativa que possibilita a descoberta do fazer artístico voltado para o corpo.

O coletivo Afrofunk Rio realiza no dia 3 às 20h uma oficina que aborda o funk com um novo olhar sobre o ritmo, derrubando ideias de padrão de beleza e provocando a discussão sobre sexualidade e hipersexualização, machismo, racismo e independência individual. O filósofo e pesquisador Ali Prando encerra a programação de oficinas do Coquetel Molotov.EXE nos dias 7 e 9 de julho, às 19h, com o famoso workshop “Politizando Beyoncé” em uma versão online. A oficina investiga a estética da super artista pop Beyoncé, trazendo para reflexão tópicos da indústria cultural e questões raciais, de gênero e de sexualidade.

Call Center – Projeto que teve início ainda em junho, CALL CENTER é um encontro semanal online onde diferentes convidados falam de seus trabalhos e interagem com o público em momentos inéditos de debate e fluxo crítico. Durante o Coquetel Molotov.EXE, duas convidadas participam do projeto em masterclasses especiais às 20h respectivamente nos dias 1 e 8 de julho: as cantoras Letrux e Linn da Quebrada. Os talks acontecem dentro da plataforma Zoom com acesso ao público via Sympla Streaming.

Cápsulas – Ao longo de seus dias de programação, o Coquetel Molotov.EXE traz ainda cápsulas no IGTV falando de bem-estar e aulinhas rápidas de Petiscos com Cerveja pelo chef Lucas Muniz e de Drinks TNT com Lures Laura do Conexão Sapatão.

Apresentações – Inspirado em outros eventos que ajudou a produzir nos últimos meses como o ¼ Fest e o Fico em Casa BR, o Coquetel Molotov.EXE vai realizar no dia 11 de julho uma maratona musical que reúne importantes nomes da cena artística nacional e outros convidados especiais em apresentações intimistas e exclusivas. O festival oferece ao público em suas casas três palcos e um lounge com atrações diversas em salas diferentes e simultâneas dentro da plataforma Zoom possibilitando que as pessoas possam sair de um show e entrar em outro, como na versão mais tradicional do evento. Uma prévia desta programação acontece no sábado (4) com uma festa surpresa com Djs convidados. 

No Palco Itaipava que abre a sequência de lives às 17h, temos artistas que vão do pop-brega ao indie e o hip hop. Estão nesta sala os artistas Léo da Bodega (PE), Gab Ferreira (SC), Boogarins (GO), Luna Vitrolira (PE), Giovani Cidreira (BA), Tássia Reis (SP), Romero Ferro (PE) e MC Tha (SP). A partir das 19h, entram em ação os artistas do Palco TNT: Tsar B (Bélgica), Kai/DIP (PE), Rayssa Dias (PE), Déborah dos Falsetes cantando Mariah Carey (SP), DJ Ananindeusa (PA), DJ Cleiton Rasta (AL), Iury Andrew (PE) e Badsista (SP). Em parceria com o ¼ Fest, o Palco ¼ apresenta a partir das 22h atrações convidadas como Bicudo (Portugal), Mientras Dura (MG), Noporn (SP), Posada (RS) e Ultra Ra (PE), entre outras surpresas. Completa a programação do Coquetel Molotov.EXE um Lounge de Djs com Senta e performances durante os intervalos de cada live.

Diversidade – Desde a sua primeira edição em 2004, o No Ar Coquetel Molotov tornou-se mais que uma imensa festa para os apreciadores de música e diversão. O Coquetel Molotov é um exemplo de evento onde a diversidade é respeitada e incentivada. Um festival de resistência que fortalece suas ativações com importantes parcerias, a exemplo da Women Friendly – Empresa Amiga da Mulher e Keychange, iniciativa internacional pioneira, que estimula o equilíbrio de gênero na programação dos festivais e encoraja as mulheres a transformarem o futuro da música.

 O Coquetel Molotov também faz parte da Abrafin – Associação Brasileira de Festivais Independentes, que surgiu para dialogar com o poder público e trabalhar em favor do segmento da música. A Abrafin também está à frente do Manifesto Festivais Unidos em Tempos de Crise e ajudou a articular apoio à votação da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc no Congresso Nacional.

 Diante do adiamento da versão física do No Ar, o público que adquiriu ingressos do primeiro lote promocional, colocado à venda em março deste ano, terá a opção de guardar o ingresso para a edição de 2021 ou solicitar o estorno do valor. Para esta última, um email com a solicitação do estorno deverá ser enviado para o: [email protected] .

COQUETEL MOLOTOV.EXE
Mais informações e ingressos: https://www.sympla.com.br/codaproducoes 

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Liana Cirne Lins

Paternidade Ativa Feminista

André Barros

Blindador-geral da República

Felipe Milanez

Morreu Aritana Yawalapíti! Silêncio, choro e o luto com o Xingu

NINJA

O elitismo e o mal banal dos protestantes tradicionais no governo Bolsonaro

Eduardo Sá

“O movimento agroecológico reúne experiências e caminhos possíveis e desejáveis”

Daniel Zen

Palavras soltas ao vento

Eduardo Sá

“A questão da fome é real se houver um impasse e não se encontrar uma saída”

Ana Claudino

Quem tem medo de sapatão?

Márcio Santilli

Bolsonaro fora do mundo

Boaventura de Sousa Santos

Defesa dos indígenas contra a Covid-19

André Barros

Negacionismo judicial

Daniel Zen

Um feminicida não pode ser ídolo em nossa sociedade

afrolatinas

Conheça a Pretaria BlackBooks, primeiro clube de leitura antirracista do Brasil

André Barros

Notícia-crime contra Bolsonaro por genocídio

Colunista NINJA

O vírus e as trabalhadoras sexuais na Guaicurus, em Belo Horizonte