Foto: Arquivo pessoal

Hoje vim aqui com esse sorriso no rosto pra falar que já fracassei, já errei, já fui preconceituosa, já tive raiva, já guardei rancor e uma série de sensações ruins humanas.

É Zentee, tá tudo bem errar, o foda é persistir no erro.

Vivemos nessa onda cibernética no qual o tempo todo estamos conectados (mesmo não querendo) a parecer ser, ou ser o que não é (que dá no mesmo).

Não vendo receita diárias de autoamor nos meus stories, quem me acompanha diariamente sabe qto to mal quando exponho essa realidade. Pq o fracasso me humaniza.

Em tempos de redes sociais as pessoas escolhem seus heróis virtuais, é tipo líder religioso que geral venera e fala que não tem erros e santifica a pessoa.

Recebo inúmeras msg que são mais um apelo gigantesco de socorro, pq as pessoas assistem às conquistas das outras e tentam assemelhar com a realidade que vivem e não consegue enxergam frações de felicidades que a façam feliz.

Acaba gerando uma dependência, ansiedade e depressão levando alguma a interromper suas próprias vidas.

Aos criadores de conteúdo, sejamos empáticos e cuidadosos com o que compartilhamos nas redes e aos demais entendam que as pessoas que vc segue têm os mesmos ou outros problemas igual a vc, ela só não expõem.

Essa perfeição que a gente cria só tá na nossa cabeça.

Hoje eu comemoro até meus fracassos pq foi através deles que eu construí coisas melhores e qdo estou triste acredito que é o meu momento de cura pra dar continuidade no caos/ordem da vida.

E você consegue ver perspectiva no fracasso? Sua ansiedade te trava?

Procure ajuda, fale com alguém, se precisar estou aqui, às vezes demoro pra responder pela quantidade de msg, mas respondo!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Rachel Daniel

O silêncio das igrejas sobre sexo é ensurdecedor

Movimento dos Pequenos Agricultores

 Guedes tropeça na saca de milho

NINJA

Veto à Praça Marielle Franco é mais um gesto autoritário do governador do Distrito Federal

Roger Cipó

Reflexões sobre o amor na luta contra o racismo

NINJA

E quando quem tá para servir, te persegue?

Daniel Zen

Dois absurdos ambientais em um único projeto de lei

Tainá de Paula

Ô glória: o Rio de Janeiro no fundo do poço

Daniel Zen

Liberais na economia, nazistas nos costumes

Rachel Daniel

Quando se demonizam os evangélicos...

Victoria Henrique

Seria o incômodo o antônimo de admiração?

Cleidiana Ramos

O culto a São Lázaro faz lembrar dos corpos que se deseja esquecer

Juan Manuel P. Domínguez

Gail Dines: “A pornografia é a máquina de propaganda do patriarcado”

Gabriel RG

Cosplay nazista de Roberto Alvim rompe a cortina ideológica de toda a direita

Boaventura de Sousa Santos

Para uma nova Declaração Universal dos Direitos Humanos I

Valentine

A luta de classes no Brasil tem a ver com raça e gênero, sim! Parte 1