opinião

O feminicídio político e o epistemicídio

Será que o conceito de uma mulher, negra, cria da favela pode se tornar referência e contribuir para elaborações mais aprofundadas sobre o que vivemos todos os dias? Ou o epistemicídio seguirá matando ou anulando nosso conhecimento todos os dias?

Robespierre e Bolsonaro. Jacobinos e bolsominions.

Há uma passagem da Revolução Francesa que nos faz refletir sobre o que está acontecendo no Brasil de hoje. Tomo emprestada, na reflexão de hoje, uma breve passagem de Arno Dal Ri Júnior, extraída do artigo intitulado “Evolução histórica e fundamentos jurídico-políticos da cidadania”.

O mundo precisa da ciência e a ciência precisa das mulheres

Para falar em tecnologia é preciso falar também sobre pesquisa e ciência. O desenvolvimento de um país está diretamente relacionado ao investimento no setor. Mas como falar sobre o tema sem abordar também a democratização do acesso ao conhecimento científico? E como democratizar esses espaços sem uma maior participação feminina?

A política de Bolsonaro

O presidente do Brasil, vereador do Rio de Janeiro por dois anos, deputado federal durante dezoito anos, tendo sido filiado a nove e agora sem partido, não conseguiu formar o seu partido nazista “Aliança pelo Brasil”.

Defensores da saúde pública, uni-vos!

Inscrever a saúde como direito de todos e dever do Estado na Constituição, universalizando o acesso, foi uma enorme conquista. Responsavelmente foram garantidas fontes plurais para os objetivos estabelecidos.

Marginalização maconheira

Constitui um dos objetivos da República Federativa do Brasil a erradicação da marginalização. Em nosso país, milhões de crianças nascem à margem dos direitos ao saneamento básico, saúde, creche, escola, sem falar que, antes mesmo de nascerem, já estão marginalizadas, pois suas mães sequer tiveram acesso ao acompanhamento pré-natal.

O peso do meu corpo

Hoje não vim falar de corpos dissidentes, enquanto processo de socialização e inserção na sociedade. Mas do quanto nós, pessoas trans e travestis, temos que lidar com certas guerras internas que nos perpassam em nossa trajetória, nossa vivência, potências e até mesmo descrença.

Sintomas da Economia Popular nas dificuldades do dia-a-dia

De nada vale uma baixa taxa de juros, uma inflação baixa, um baixo risco país e sucessivas altas na Ibovespa – agora também em queda – sem que o comportamento positivo de tais indicadores específicos esteja acompanhado do comportamento positivo de outros indicadores.

Não nos dê flores. Queremos vida

O 8 de março, Dia Internacional da Mulher, é a data em que as floriculturas se enchem de buquês lindos com rosas vermelhas para homenagear mulheres. Mas, para nossa profunda tristeza, algumas dessas rosas vão adornar os caixões de pelo menos três mulheres que serão assassinadas no Brasil.

Os desafios e as oportunidades diante do Bolsonarismo

Sabemos que a trupe miliciana fascista conseguiu capturar bem o sentimento anti-sistêmico das últimas eleições e que ainda paira na sociedade. Mais que isso, construiu uma rede potente de propaganda que faz com que ele só fale para os seus.

Os criadores perderam o controle sobre a criatura

Setores importantes da grande mídia, do empresariado, do aparato judicial e da política torceram e trabalharam, nas Eleições de 2018, para o êxito de um candidato de direita ou centro-direita. Inebriados pelo antipetismo para a ascensão da extrema-direita e de Bolsonaro à presidência da República. São seus criadores. Bolsonaro, a criatura.

O capitalismo vencedor do Oscar

O documentário premiado “Indústria Americana”, disponível na Netflix, tem muito a nos ensinar pela narrativa de mulheres negras, que ocupam boa parte dos postos de trabalho precários. O filme registra a chegada dos chineses em uma fábrica de vidro nos EUA. Obviamente que há muito em jogo nesse filme, considerando que a produção é da família Obama.

CEUs de São Paulo estão sem teatro desde dezembro

A mais recente má notícia entre as tantas crueldades que vêm sendo cometidas contra a educação e a cultura do país é a da interrupção de atividades teatrais nos Centros Educacionais Unificados (CEUs), projeto de alta relevância na rede de ensino da Capital.

Trabalhadores do RJ que vendem água mineral na rua para você, sequer têm água mineral em casa para beber

Com a crise da água no Rio de Janeiro, a população carioca ainda recebe em sua casa água com cheiro, cor e gosto de terra. Desde o início do mês de janeiro, houve um crescimento na procura por água mineral em mercados que aumentaram os preços e, como forma de controlar a venda do produto, limitaram a compra de garrafas por pessoa.

Carta a Raull Santiago

Poderia enviar uma mensagem direta por WhatsApp, ou em algum dos grupos que participamos juntos, mas decidi usar minha coluna, aqui, para tornar pública uma carta a Raull Santiago, um dos mais importantes ativistas periféricos da última década.

Trans nos esportes: o projeto, a incoerência e a transfobia

O projeto de lei 346/19 foi retomado e será votado pela Assembleia Legislativa de São Paulo. O projeto propõe que o sexo biológico seja o único critério para definição do gênero dos atletas em competições. Isso não só é discriminatório, como também será desastroso.

Somos todas domésticas?

As trabalhadoras domésticas foram vítimas de preconceito de classe, de raça e de gênero pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, no dia 12 de fevereiro. Em um seminário em Brasília, justificando a alta do dólar, ele afirmou: “empregada doméstica estava indo para Disney, uma festa danada”.

A festa é nossa, o corpo é meu!

A chegada do Carnaval acende um tema que atinge de maneira cortante a vida das mulheres: o assédio sexual. Um tema que para nós, feministas, é permanente. Carnavalizar é palavra de ordem: destronar o patriarcado, seus reis machistas e racistas é a luta da vez.

Madá, o ciberespaço e a história da internet

Madalena nasceu em 2011 e Madá é o apelido que sua avó escolheu pra ela. Assim como suas amigas, ela gosta do Habbo porque os avatares podem ser criados com cores diferentes, cabelos irados e até roupas exclusivas. Mas o que Madalena e suas amigas nem imaginam é que elas vivem em um ciberespaço.

Um Posto Ypiranga sem combustível

Nesse início de 2020, os indicadores econômicos nos chamam a atenção pelos seus comportamentos descendentes, resultantes de uma política econômica desastrosa – porém, falaciosa, que esconde os seus verdadeiros e perversos efeitos com muita propaganda – prenúncio de um possível desastre que está por vir.

Politizar é carnavalizar

O espírito do carnaval é ironizar e gozar, carnavalizar essa sociedade hipócrita e as relações de poder, quando todos se misturam na rua, palco da festa.

O desenvelhecimento do mundo

Na vida pessoal, o envelhecimento depende menos da idade fisiológica do que da idade social. A idade social é inversamente proporcional à capacidade de pensar, sentir e viver o novo como futuro, como tarefa, como presente por experimentar.

Feminismo, Big Brother, bolhas e classes sociais

Recentemente, escutei uma conversa entre três pessoas negras e pobres na entrada de um prédio comercial: uma recepcionista e dois seguranças. Eles estavam falando sobre Big Brother e “um tal de feminismo e direitos das mulheres”.

A racialização do homem branco que se faz de régua e regra

A história do ocidente é marcada pela ação do homem branco em definir tudo a partir de si mesmo. Nos estudos de masculinidades, por exemplo, veremos que as demais expressões de masculino, fora daquilo performado por brancos, como brancos, para brancos, foram chamadas de “masculinidade subalternas”.

Acessibilidade e portabilidade à prova da ignorância

A internet e os smartphones são duas das maravilhas do mundo contemporâneo. Porém, com a mesma intensidade de seus benefícios, o efeito colateral da dupla é a proliferação, em escala global, da informação de péssima qualidade e, muitas vezes, inútil.

As ricas também sofrem!

Quando a gente fala de Patriarcado, Tradição, Família e Propriedade parece uma abstração e um clichê, mas aí você vê a mídia inteira replicar a frase: “Nunca teve nada com ela”, diz mãe de Gugu sobre relação do filho com Rose Miriam. E se pergunta: mas como a mãe de 3 filhos do cidadão “nunca teve nada com ele”.

“Exigimos a cura contra Bolsonaro”, uma resposta de pessoas vivendo com HIV

Não nos use como desculpa para perseguição política e destruição da democracia. Existimos antes dos partidos políticos. É pedir demais para você ler um pouco da história? O Brasil foi um modelo para toda a região no acesso aos medicamentos para o HIV e no combate à discriminação contra pessoas com HIV.

ARESP 1625710/RJ do plantador de maconha

A conduta que condena um plantador de maconha a entre 5 e 15 anos de reclusão está prevista no artigo 33, § 1º. inciso II, da Lei 11343/2006. Entretanto, este tipo penal não se adequa à Cannabis Sativa, pois, segundo o artigo, a mesma é aplicada para quem “semeia, cultiva ou faz a colheita de plantas que se constituam em matéria-prima para a preparação de drogas”.

A demagogia governamental contra o Bolsa Família

A tentativa de tornar permanente o pagamento de 13º aos integrantes dos programas Bolsa Família e Benefício de Prestação Continuada encontra cada vez mais dificuldades no Congresso Nacional. Na semana da volta dos trabalhos legislativos, duas sessões marcadas para discutir o tema foram canceladas por falta de quórum.

E o pessoal dos Direitos Humanos? 

A defesa dos direitos humanos, em um momento de polarização política, transita entre indiferença e o ódio por parte da humanidade. Essa relação fica explícita quando, diante de barbáries, questiona-se: E o pessoal dos direitos humanos? Esses defensores de direitos humanos só defendem bandidos.

A Petrobras está dentro de nossas casas

O ônibus que nos leva até a rodoviária, até o bairro ou até o centro da cidade é movido a diesel, com petróleo extraído do fundo do mar, pela Petrobras e seus trabalhadores, com tecnologia de exploração em águas profundas desenvolvida por engenheiros e cientistas desta nossa amada nação.

Petrix expulso?

Em sua nova coluna na Mídia NINJA, Isa Penna comenta sobre os fatos que envolvem o participante.

Retórica do cinismo, lógica da pós-verdade

O presidente Jair Bolsonaro e seus ministros carecem de um traço característico dos homens públicos sérios, dos verdadeiros estadistas. Lhes falta a hombridade, a dignidade e a honradez de assumir os próprios erros para, ao menos, tentar corrigi-los. Estão sempre procurando culpados dentre os seus adversários, apontando o dedo para os outros.

Fora Weintraub!

Respeito. Esse deve ser um dos nortes da gestão pública. Governantes devem ter o senso de responsabilidade e saber que sua atividade e suas decisões impactam profundamente a vida das pessoas.

Cavalo de Troia

Lembro-me dos sentimentos que atravessaram minha existência quando resolvi assumir minha transição de gênero. Meu nome era Bianca, lésbica separatista, anarquista e que há alguns anos acumulava certas dores e angústias em relação à heterossexualidade, sobretudo, a masculina e seus comportamentos abusivos e legais perante o resto do mundo.

A cultura incomoda?

Conhecimento, identidade, potência e capacidade crítica são elementos transformadores. Cultura é além do que se vê ou se toca, mas o que se é. Possibilitar que o povo seja potencializado pelo trinômio educação, ciência e cultura é emancipador e transformador. E é justamente por isso que o governo estabeleceu seus alvos ideológicos e atirou suas mordaças.