Foto: Mídia NINJA

Por Laura Uyeno para Cobertura Colaborativa NINJA People’s Summit

“A pandemia de Covid-19 já custou mais de um milhão de vidas nos Estados Unidos e deixou claro que o país mais rico do mundo continua valorizando o lucro econômico em detrimento do bem-estar da humanidade. Nesta mesa, serão discutidos outros modelos de solidariedade social e lutas contra a privatização da saúde em um outro possibilidades em que se possa priorizar a saúde para todos.”

Sameena Rahman abre os trabalhos da mesa. Ela é ativista da Coalizão ANSWER (Act Now to Stop War and End Racism) e mestre em Saúde Pública e Ciências Biomédicas. Durante sua formação teve contato com questões relacionadas à saúde e imigração que a incentivaram a lutar por saúde acima do lucro e por um sistema socialista.  A mesma fala sobre as subsequentes crises que o mundo vem passando e como são as próprias pessoas que fazem parte desse mundo que encontrarão as soluções para que essas crises sejam superadas juntos e muito além de barreiras. Dessa forma, critica como a Cúpula das Américas começa errado, quando bane da participação países (Cuba, Venezuela e Nicarágua). 

Convoca de forma online a Dra. Tania Crombet Ramos, imunologista cubana, especialista em imunoterapia para câncer e contribuiu para o registro em Cuba e no exterior de uma vacina contra o câncer e anticorpo monoclonal para diversos tumores epiteliais. A Dra. Tania fala do sucesso a partir do embargo à Cuba, do processo obrigatório de encontrar uma solução para o COVID que fosse produzido dentro do país. O protocolo mensurava o PCR (marcador inflamatório) e tratava-se precocemente com alfa interferon recombinante. Os números mostram que 99% dos portadores de COVID tiveram completa recuperação e que o índice de mortalidade foi de 0,77 e a taxa de morte/ milhão é de 753. Desenvolveu-se internamente 5 vacinas candidatas e 3 delas foram aprovadas pela agência reguladora. Foi o primeiro país a implementar vacinas em crianças, gestantes, puérperas e convalescentes. O país também tem uma das maiores taxas de vacinação no mundo, na casa de 94% da população vacinada. Já tem novos protocolos para tratar sequelas renais, respiratórias e cardiovasculares do COVID-19 e seguem em avanços de suas principais pesquisas que são para tratamento de câncer e Alzheimer.