“Solange da quentinha” era uma moradora muito conhecida no Complexo do Alemão. Moradores se organizamo para denunciar a situação. Foto: Divulgação

Por Mauro Utida

Uma moradora do Complexo do Alemão foi baleada na manhã desta sexta-feira (22) durante uma ação da UPP Nova Brasília para remoção de um concreto, em um local conhecido como Alvorada. A vítima era conhecida como “Solange da Quentinha” e testemunhas viram quando os policiais atiraram e estão se organizando para denunciar a situação. “Segundo vizinhos, ela foi baleada por um policial que se assustou quando moradora passava no beco”, informou Rene Silva, fundador do portal Voz da Comunidade.

A vítima foi socorrida para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, mas a família comunicou o falecimento dela nesta manhã. Com a morte de dona Solange, sobe para 19 o número de vítimas na chacina do Complexo do Alemão que iniciou nesta quinta-feira (21) por policiais do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e da unidade tática da POlícia Civil, CORE (Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais).

Ontem, a operação policial durou mais de 12 horas. Hoje pela manhã, a comunidade no Complexo do Alemão acordou com tiros na região da Canitar e Alvorada, segundo o portal Voz da Comunidade. “As kombis não estão circulando dentro da comunidade, há poucos mototaxistas circulando e alguns comércios estão abertos. Pedimos atenção aos moradores do Complexo do Alemão ao entrar ou sair da comunidade”, informou Rene Silva, em seu Twitter.

Rene Silva denunciou que nenhum político compareceu na comunidade nesta quinta para apoiar os moradores.

 

 

O chefe da Coordenadoria de Operações Especiais da Polícia do Rio, Fabrício Oliveira, disse que moradores críticos da matança no Complexo do Alemão são “narcoativistas”.

Histórico letal

A nova Chacina no Complexo do Alemão já deixou 19 mortos. Foto: Divulgação/Voz da Comunidade

Em um intervalo de pouco mais de um ano, o governo Cláudio Castro (PL), que tenta a reeleição, realizou três das cinco maiores chacinas policiais da história do estado do Rio de Janeiro. A última delas ocorrida ontem (21), no Complexo do Alemão, deixou até o momento 19 mortos.

As cinco ações mais letais da história do Rio:

Jacarezinho: maio de 2021 / 28 mortos (incluindo um policial)

Complexo da Penha (Vila Cruzeiro): maio de 2022 / 24 mortos

Vila Operária (Duque de Caxias): janeiro de 1998 / 23 mortos

Complexo do Alemão: junho de 2007 / 19 mortos

Complexo do Alemão: julho de 2022 / 19 mortos (incluindo um policial).