Especialistas apontam que o Copom reconheceu melhorias nos indicadores de inflação e atividade econômica no Brasil

Foto: reprodução

Em sua reunião mais recente, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou um corte adicional de 0,50 ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic, que agora está em 12,75% ao ano. A decisão do Copom foi baseada na observação do processo de desinflação, análise dos cenários econômicos interno e externo, e avaliação dos riscos.

Especialistas apontam que o Copom reconheceu melhorias nos indicadores de inflação e atividade econômica no Brasil, mas também enfatizou a importância da execução das metas fiscais. O cenário macroeconômico brasileiro foi avalisado como estável, com menção às quedas recentes na inflação.

O comunicado do BC também abordou os fatores de risco que ainda afetam a inflação, incluindo pressões inflacionárias globais persistentes e a resiliência da inflação de serviços. Além disso, destacou a incerteza no cenário internacional devido à desinflação contínua e mercados de trabalho resistentes em todo o mundo.

A redução é uma das demandas de Lula, além de comitês populares, sindicatos, movimentos sociais e partidos de esquerda que uniram forças para combater as persistentes altas. Os movimentos pedem ainda o afastamento do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Leia mais:

Comitês populares denunciam taxa de juros absurda e mobilizam protesto nacional