Foto: Wallpaper Cave

Por Maria Costa

Nos últimos quatro anos a bandeira brasileira foi usada por políticos e apoiadores da direita conservadora e atribuída ao bolsonarismo, fazendo com que, indiretamente, associemos símbolos patrióticos ao conservadorismo. O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva usou suas redes sociais para reafirmar que vai sim usar a camisa amarela da seleção brasileira, já que ela “não pertence a nenhum partido político”.

 

 

O trabalho de desvincular o bolsonarismo a camisa da seleção brasileira é algo mais complexo do que aparenta. O uso de artimanhas como as citadas pelo presidente eleito em seu perfil do Twitter, como a adição do número treze nas costas das camisas, tem feito muito sucesso entre os brasileiros que querem usar suas camisas nas ruas sem serem confundidos com apoiadores de Bolsonaro e da extrema direita.

 

 

Assim, faltando apenas algumas horas para a estreia da seleção brasileira na copa do mundo, o clima do hexa volta a contagiar os torcedores, que arranjam diferentes jeitos de apoiar a participação do Brasil no evento, sem deixar de se posicionar politicamente.