É estarrecedor a lista de detratores produzida pelo Governo a cargo de uma empresa de Comunicação terceirizada, conforme revelado na última semana. Entre parlamentares de oposição, passando por influenciadores digitais e jornalistas, mais de 100 pessoas constam no documento que mais parece um relatório do SNI da brutal década de 70 do que um mero clipping jornalístico doméstico.

O valor do negócio, segundo o contrato público, é aparentemente baixo: R$ 36 mil, dentro de um montante de R$ 2,7 milhões. Mas as sombras da dúvida que pairam sob seu valor de função são incalculáveis. Para que o ministro da Economia, Paulo Guedes, se interessaria numa lista que dita quem critica ou não o Governo? Talvez a resposta esteja no que ocorreu nas últimas semanas. Afinal, o bolsonarismo não dorme quando o assunto é perseguir e difamar seus opositores com as mais variáveis e criminosas fake news.

Em menos de 24 horas que um dos “detratores”, o economista Eduardo Moreira, se movimentou para denunciar a listagem em suas redes, mensagens anônimas contra sua família começaram a surgir. Seus pais chegaram a receber pedido de dinheiro e assédio moral. Como se sabe, Eduardo é um dos nomes mais fortes contra o desmonte previdenciário de Guedes e sua turma extremista.

Num passado não tão distante, outro “detrator”, o blogueiro Felipe Neto, teve seu nome alinhado à pedofilia através de uma chuva digital orquestrada pelo conhecido “Gabinete do Ódio”. O influenciador, que critica diariamente o Governo – e corretamente – precisou ir ao Jornal Nacional, da TV Globo, fazer o contraponto público.

Sabemos como o bolsonarismo age no submundo digital. Sem escrúpulos ou honestidade alguma com os fatos, espalham fake news mirando seus adversários. E essa lista pode ser parte, sim, desse modus operandi bolsonarista.

A integridade física e moral dos relacionados e suas famílias estão ameaçados em movimentos como esse. E pior, amparados pelo Estado brasileiro. É por isso que começamos a coletar assinaturas para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito na Câmara dos Deputados que investigue os envolvidos e descubra até onde essa lista permitiu ir. A mando de quem? E quem teve acesso? E por que? Há muito o que se descobrir.

Não se pode cruzar os braços diante de qualquer evidência de rasgo democrático. Como se sabe, esse Governo está sujeito a tudo quando o assunto é destruir nosso futuro e todos aqueles que o tentam impedir. CPI JÁ!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Márcio Santilli

‘Caminho do meio’ para a demarcação de Terras Indígenas

Jade Beatriz

A luta pela revogação do novo ensino médio: Um compromisso com a educação de qualidade no Brasil

Tainá de Paula

A sociedade não pode aceitar crimes de importunação sexual de futuros médicos

Moara Saboia

Cidades diferentes: Planejar, organizar e regulamentar para avançar

Rede Justiça Criminal

A guerra às drogas e o adoecimento das favelas

Macaé Evaristo

Jeitinho antidemocrático de governar

Jandira Feghali

A máquina de ódio não vai nos parar

Movimento Sem Terra

Os desafios da juventude que vive no campo, nas águas e nas florestas

Poderes Pretos

Uma ministra preta no terceiro mundo

Colunista NINJA

Sem mais festas da Selma

Jade Beatriz

Não vamos voltar para o armário!

Bruno Trezena

Sandy tava errada

André Menezes

Recife é palco da quarta edição de festival que busca promover o jornalismo de causas

Márcio Santilli

Regulamentação do mercado de carbono

Karla Martins

Amazônia narrada na primeira pessoa