.

Carnaval chegou e vem trazendo blocos, alegria e uma boa dose de capacitismo. Infelizmente, está circulando por aí um vídeo de uma moça cadeirante beijando um rapaz durante a folia, com a voz dos autores da filmagem zoando a cena.

Aos sons de “esse não perdoa ninguém” e “esse aí é herói” podemos ver o belo desfile da alegoria da ignorância, imbecilidade, machismo e estereótipo da mulher com deficiência. Afinal, QUEM TERIA CORAGEM DE BEIJAR UMA CADEIRANTE?

Obviamente, me vi naquela moça exposta. Imaginei quantas vezes meus companheiros devem ter ouvido isso de seus amigos e familiares. Quantos deles não devem ter pensado o mesmo, pelo menos alguma vez.

É a realidade nua e crua de como a sociedade entende a sexualidade das pessoas com deficiência, como ainda precisamos discutir acessibilidade afetiva para evitar esse tipo de situação.

À moça do vídeo desejo muita força e me solidarizo com você. Espero que esse incidente não afete sua autoestima e saiba que não está só. ❤️

Aos autores da filmagem, meus sinceros: VÃO SE FODER.

Aos preconceituosos de plantão: vai ter cadeirante beijando, transando e gozando muito nessa vida. Vocês gostando ou não.

#pratodosverem imagem com fundo rosa, no canto superior esquerdo o texto “Vai ter cadeirante beijando no carnaval?” logo abaixo a imagem de uma mulher nua cadeirante beijando um homem em tom verde. Ao lado em letras grandes a frase “Claro que sim!”. No rodapé a direita o logo do blog. Fim da descrição.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Bruno Ramos

Um ano do massacre de Paraisópolis

NINJA

Para Ver a Luz do Sol. 40 anos de reexistência cosmopolítica no Bixiga

Jorgetânia Ferreira

São Paulo merece Erundina

Bancada Feminista do PSOL

Do #EleNão ao Boulos e Erundina sim!

Fabio Py

Dez motivos para não votar no Crivella: às urnas de luvas!

História Oral

O Mitomaníaco e os efeitos eleitorais da Pós-Falsidade

Márcio Santilli

Bolsonaro-Frankenstein: cara de pau, coração de pedra e cabeça-de-bagre

Cleidiana Ramos

O furacão de tristezas que chegou neste 20 de novembro insiste em ficar

Tatiana Barros

Como nasce um hub de inovação que empodera pessoas negras

História Oral

Quando tudo for privatizado, o povo será privado de tudo e o Amapá é prova disso

Colunista NINJA

LGBTI+ de direita: precisamos de representatividade acrítica?

Juan Manuel P. Domínguez

São Paulo poderia ser uma Stalingrado eleitoral

Colunista NINJA

A histórica eleição de uma bancada negra em Porto Alegre

Bancada Feminista do PSOL

Três motivos para votar na Bancada Feminista do PSOL

Carina Vitral da Bancada Feminista

Trump derrotado nos Estados Unidos, agora é derrotar o bolsonarismo na eleição de domingo no Brasil