O futuro da educação é agora. Os desafios e as barreiras de infraestrutura são extremamente diversos no nosso país. Dos computadores ou celulares ao acesso a internet há uma disparidade imensa. O acesso ainda não é para todes. Mas o começo da revolução educacional que se empodera de tecnologias para continuar o desenvolvimento de ações e aulas está em curso!

Podemos tirar diversas lições e provocações deste momento tão radical e, uma delas, é preciso estudar como usar as novas tecnologias em harmonia com as aulas presenciais e como estabelecer um equilíbrio entre o ensino presencial e o ensino virtual. Hoje enfrentamos em nosso país uma árdua discussão sobre o uso do ensino mediado por tecnologias. Talvez possamos amadurecer a proposta de períodos de aulas que remixem ambas as modalidades e que elas possam conviver em harmonia em prol de um projeto pedagógico que atenda às necessidades de uma educação voltada para o século 21. Mas isso é assunto extremamente profundo e não caberia nas páginas desta coluna.

Porém, é importante iniciar este texto a partir desta compreensão macro de um país desigual que também nos aponta que a necessidade é a mãe da solução. Com as medidas de isolamento e quarentena em decorrência da pandemia do novo coronavírus, as pessoas passaram a ter maior demanda de comunicação virtual, seja no âmbito do teletrabalho, seja para comunicação entre amigos e parentes. E, as Escolas foram ambientes que precisaram se reestruturar e se utilizar de ferramentas digitais para manter o calendário letivo.

Da comunicação com alunos e pais, a dinâmica de aula, o desafio está colocado e as plataformas digitais se tornam parceiras na solucionática do tempo dinâmico da rede. E para facilitar a busca por ferramentas que possam atender as diversas necessidades e realidade é que reuni aplicativos e plataformas gratuitas e pagas que ajudam educadores e também organizações na otimização do tempo, elaboração de conteúdos e organização de tarefas.

Videoconferências

As aplicações de videoconferência são uma das ferramentas que vêm ganhando mais popularidade. Confira uma lista de alternativas que podem ser utilizadas pelos usuários.

Jitsi
O Jitsi é uma plataforma de videoconferência sem fins lucrativos e de código aberto (e não proprietário, como as anteriores). Ela também permite videoconferências com 50 participantes. A diferença é que não há necessidade de baixar o programa (apenas caso a participação se dê por um smartphone) nem de colocar um e-mail válido. No site, qualquer pessoa pode criar uma conferência e chamar outros a participar pelo envio de um link.

Zoom
O Zoom é um aplicativo de videoconferência que permite até 100 pessoas em uma reunião. Na modalidade gratuita, ele permite chamadas por até 40 minutos. Para além disso, é preciso adquirir um plano pago. Para acessar, a pessoa precisa baixar a aplicação, tanto no desktop quanto no smartphone. O aplicativo está entre os top charts da Play Store, onde tem a nota 4 (na escala de 0 a 5).

WhatsApp
Mais popular app de mensageria do país, o WhatsApp permite videochamadas com até 4 pessoas. Não há necessidade de baixar aplicação diferente ou de pagar pelo serviço. Mas a limitação de integrantes restringe a funcionalidade, impedindo videoconferências com um público maior.

Facebook Messenger
O Facebook também possui como solução de videconferência o Messenger, que é utilizado pela rede social como sua ferramenta de mensageria. Ele tem como vantagem o fato de permitir a participação de pessoas com contas no Facebook, beneficiando-se da grande base de usuários que a empresa possui. Só no Brasil, são mais de 136 milhões.

Google Hangout
O Google hangout é uma das ferramentas da suíte de trabalho do Google. Ele é integrado um aplicativo específico que precisa ser baixado, permitindo chamadas para os contatos do usuário. Para isso, é preciso que todos os participantes da chamada tenham também uma conta no Google. Ele permite reuniões com até 150 pessoas

Microsoft teams
O Microsoft teams é a solução de videconferência que integra o pacote de ferramentas corporativas da Microsoft, o Office 365. Embora seja pago, a Microsoft liberou o uso do teams durante o período da pandemia. Ele possui capacidade maior e comporta até 10 mil participantes. O app permite também o acesso por meio de links, não necessitando baixar quando a pessoa está no desktop.

Skype
Também da Microsoft, o Skype é uma das mais antigas plataformas de chamadas online. O aplicativo permite videoconferências com mais de 10 participantes. Para acessar, é preciso baixar o programa tanto no desktop quanto no smartphone e criar uma conta. Quem já possui uma conta na Microsoft pode utilizá-la.

Line
O Line, a exemplo de outros apps como o Skype, surgiu como uma ferramenta de videochamadas. Ele permite chamadas entre duas pessoas. mas também em grupos. Assim como Skype, FB Messenger e Whatsapp, ele permite comunicação por texto e envio de imagens e documentos. O recurso é gratuito e também pode ser encontrado em lojas de aplicativos.

Slack
O Slack é uma ferramenta ainda pouco conhecida, mas que faz milagres na hora das video conferências. Na versão gratuita, o aplicativo fornece a opção de reuniões com até 15 pessoas. E o melhor de tudo é que ele tem uma função bem diferenciada: a possibilidade de criar setores para cada equipe de trabalho.

Discord
Discord é um aplicativo de voz sobre IP proprietário e gratuito, projetado para comunidades de jogos. O aplicativo Discord está disponível para os sistemas operacionais Microsoft Windows, macOS, Android, iOS, Linux e em navegadores da Web.

Aplicativos de planejamento e organização de tarefas

Além do desafio da comunicação mais direta, há a necessidade de uma organização compartilhada dos processos. Existem aplicativos de planejamento e organização de tarefas que facilitam o dia a dia, e mesmo sendo proprietário, a Google apresenta uma série de tecnologias compartilhadas, entre elas: 

Google Drive
Serviço de armazenamento na nuvem e sincronização de arquivos. Abrange os recursos do Google Docs.

Google Docs
Serviço que permite criar, editar e visualizar documentos, além de compartilhá-los com amigos e contatos profissionais. Inclui documentos de texto, planilhas, formulários e apresentações. Tem a opção de trabalho offline, ou seja, é possível salvar os arquivos tanto na unidade do Google como na memória do dispositivo.

Google Calendar
Serviço de agenda e calendário online que permite adicionar e controlar eventos, compromissos, compartilhar a programação com contatos sincronizados do Gmail, entre outras funcionalidades.

Trello
O Trello é um visualizador de listas com um belo visual. Por meio de cartões você pode dividir as áreas de um projeto e acompanhar o progresso de cada um dos setores. Jogando os cartões de um lado para outro, é possível atualizar instantaneamente o progresso de cada tarefa.

“O Trello é uma ferramenta fácil de usar, bastante prática e me ajuda na organização de projetos e tarefas. Além disso, posso compartilhar e dar acesso a outras pessoas da equipe ou clientes. Também uso como ferramenta para guardar arquivos, ideias, roteiros e textos”,  explica Heloísa Zambianco, empreendedora da empresa Marketing & Consultoria Digital.

O Trello possui três planos: o gratuito, o Business Class e o Enterprise. Há a versão para desktop, para Android e para iOS.

Evernote
Com o Evernote é possível escrever e armazenar notas de diversos assuntos, em formatos como texto, áudio e foto. Você ainda pode acessá-lo em diversos dispositivos e compartilhar com quem desejar. Muito empreendedores usam o Evernote por conta de proteção de informações e de compartilhamento. O Evernote possui os planos Basic (gratuito), Plus, Premium e Business. Há a versão para desktop, para Android e para iOS.

Canva
Por ser muito visual e de fácil compreensão, o Canva é uma ferramenta muito prática. É uma das ferramentas de criação de conteúdos gráficos mais simples de utilizar, até para quem não domina o Photoshop.

“Canva é um aplicativo incrível para editar imagens para as redes sociais e para os posts do blog. A versão gratuita já é muito boa e completa, mas na versão paga a opção Magic Resizete ajuda a economizar muito tempo, pois cria a imagem nos diferentes formatos das redes sociais que você selecionar”, conta Helena Sordili, sócia do Carranca Design e blogueira.

O Canva possui tanto a versão gratuita como paga. A ferramenta está disponível para desktop, Android e iOS.

Aplicativos para o ambiente escolar e interação com os alunos

G Suite for Education
O próprio Google oferece uma linha de aplicativos especialmente voltada para a educação. Conhecida como G-Suite for Education, essas ferramentas já vêm disponíveis gratuitamente tanto para o sistema Android quanto para iOS e podem ajudar a transformar a dinâmica da turma.

Há uma gama de recursos a serem explorados, como por exemplo o Google Classroom plataforma unificada entre professores e estudantes que permite a gestão em sala de aula, o Google Forms, criação de formulários que permite respostas e sugestões anônimas, entre outras.

Escola Digital
Plataforma gratuita reúne mais de 4 mil objetos digitais de aprendizagem, que podem ser pesquisados por componentes curriculares, nível de ensino e tipo de mídia. A Escola Digital traz diversas opções de vídeos, animações, games, infográficos, simuladores e outros recursos que ajudam a dinamizar o aprendizado dentro e fora da sala de aula.

Expeditions
Uma dessas muitas ferramentas disponibilizadas pelo G Suite, e que merece destaque, é a Expeditions. Esse aplicativo permite uma experiência imersiva de realidade virtual, que pode ser feita tanto pelo celular quanto com a ajuda de óculos especiais.

O professor faz o download de uma determinada expedição – por exemplo, pela Muralha da China – a partir daí, uma espécie de rede conectada ficará a disposição para ser compartilhada com os alunos, que podem acessar aquele conteúdo em seus próprios celulares.

Arts&Culture
Você provavelmente já ouviu falar do Arts&Culture, mais um destaque do Google, que ficou conhecido pela ferramenta que compara o seu rosto com uma obra de arte famosa.  Para além dos memes, o aplicativo, criado em 2016, tem como finalidade permitir visitas virtuais à todos os museus e acervos do mundo.

Aliás, a atualização da selfie veio só 2 anos depois de sua criação, que tinha como objetivo principal servir como material para qualquer pessoa interessada em saber mais sobre a cultura da humanidade. Ele está disponível para sistema Android e iOS gratuitamente.

Kahoot!
Quizzes e games são ótimas estratégias para captar a atenção dos jovens. Por isso, a plataforma Kahoot tornou-se uma das estratégias de aprendizado mais eficazes utilizadas em sala de aula. O uso do aplicativo é gratuito, basta inserir o “game pin” de registro, passado pelo educador.

Como se fossem apresentadores de um programa de TV, os professores lançam perguntas e os estudantes, que podem ser divididos em grupos, têm 30 segundos para responder corretamente.  Pontos são distribuídos de acordo com a velocidade do clique e, ao final do jogo, é possível ver o desempenho dos grupos em um ranking.

LightBot
A programação tem ganhado espaço dentro do currículo escolar, e já é considerada uma competência importante para a nova geração. O LightBot, aplicativo disponível gratuitamente para Android e iOS, oferece a oportunidade de aprender a codificar através de jogos e puzzles. O objetivo é desenvolver habilidades de lógica, sequenciação e condicionais, mas sem introduzi-las como conceito, apenas contando com os aspectos lúdicos dos games.

SDG
O SDG apresenta formato e objetivo diferente dos demais aplicativos citados nessa lista. Ele reúne todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) fixados pela ONU, explica as metas para cada um e sugere locais de ação, de acordo com a sua localização geográfica, para ajudar a colocá-las em prática.

Apesar de o SDG não ser um aplicativo que efetivamente promova a interação em sala de aula, ele pode ser aproveitado para uma série de atividades e ações em conjunto na escola, envolvendo os estudantes com temas de responsabilidade social e ambiental.

Sabe de algum outro aplicativo ou plataforma que faria toda a diferença neste momento? Deixa um comentário e compartilhe 🙂

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Boaventura de Sousa Santos

A difícil construção do contemporâneo e do complementar

Gabriel RG

A cruzada do fundamentalismo capitalista contra a ciência

Ana Claudino

Seu silêncio não vai proteger você

Amara Moira

Manifestações em tempos de pandemia

Marielle Ramires

Democracia com luta, ou não haverá

Carina Vitral

Combater o fascismo é uma emergência

SOM.VC

CALL CENTER - Encontros Webnaries Performance and Música

Randolfe Rodrigues

Liberdade de imprensa é valor inalienável da sociedade civil

Dríade Aguiar

O que deveríamos estar fazendo no "Blackout Tuesday"

Fred Maia

Quando a montanha pariu um monstro

transpoetas

Demétrio Campos, presente!

André Barros

Viva Marielle! Fora Bolsonaro!

Movimento dos Pequenos Agricultores

Se não plantar agora, a fome virá em seguida

Tulio Ribeiro

Vingança! Viva o Rei Messias!

Luiz Henrique Eloy

Terras indígenas na pauta do Supremo: Teoria do indigenato versus marco temporal