Precisamos unir brasileiras e brasileiros em indignação geral da nação para tirar Bolsonaro da Presidência da República. Ele tem plena consciência de que o coronavírus é altamente contagioso e letal, em diversas cidades não há mais vagas nas UTIs, o colapso já chegou aos cemitérios e estamos alcançando o momento de pico da doença.

Diante das atuais circunstâncias, ao tomar todas as medidas para acabar com o isolamento social e estimular o retorno ao trabalho, Bolsonaro está conclamando as pessoas a um verdadeiro suicídio coletivo.

Suas atitudes já consistem num verdadeiro escândalo mundial, de maneira que o presidente do Brasil será julgado por Tribunais Internacionais. É evidente a sua vontade de entrar para a história como o autor do maior suicídio coletivo mundial. O único interesse de suas medidas é o de manter a pandemia no Brasil o maior tempo possível, na intenção de adiar seu impeachment e condenação por crime comum.

Quantos milhões de brasileiros que acreditaram e seguiram as orientações do presidente da República já foram contaminados e morreram pelo coronavírus (COVID-19)? O Brasil já é o sexto país do mundo em contaminação e mortes pelo coronavírus, podendo estar em posição bem mais à frente, pois tem o maior número de subnotificações. Nossa taxa de contágio é imensa, já que um, em cada quatro brasileiros que fizeram o teste, acusou positivo.

Os fatos aqui narrados são públicos e notórios. Milhões de pessoas que têm consciência, meios materiais e não exercem atividades essenciais, estão dentro de casa, com medo da morte.

Imaginem o que vai acontecer se, no auge da pandemia, milhões de pessoas estiverem andando pelas ruas, comendo em restaurantes na hora do almoço e circulando em ônibus, trens e metrôs? No país com a maior desigualdade social do planeta, os pobres são o maior grupo de risco da necropolítica do Bolsonaro. A vontade do presidente da República é liderar um suicídio coletivo jamais visto na história da humanidade.

A responsabilidade do que está acontecendo e o que pode vir acontecer é toda nossa. Temos de unir todo o Brasil para tirar Bolsonaro imediatamente desse projeto de morte coletiva. Como não podemos ir às ruas neste momento, temos de lutar com os instrumento que estão a nosso alcance: fazer barulhaço, lives, tomar as redes sociais, exigir o posicionamento dos meios de comunicação pelo imediato afastamento de Bolsonaro, cobrar da Procuradoria-Geral da República e do Supremo Tribunal Federal o pedido de instauração de processo por crime comum contra o presidente da República, bem como a autorização da instauração pelos deputados federais e, do presidente da Câmara dos Deputados, o recebimento dos pedidos de impeachment.

Tirar Bolsonaro da presidência da República é um dever humanitário das brasileiras e dos brasileiros que amam seu país!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Boaventura de Sousa Santos

A difícil construção do contemporâneo e do complementar

Gabriel RG

A cruzada do fundamentalismo capitalista contra a ciência

Ana Claudino

Seu silêncio não vai proteger você

Amara Moira

Manifestações em tempos de pandemia

Marielle Ramires

Democracia com luta, ou não haverá

Carina Vitral

Combater o fascismo é uma emergência

SOM.VC

CALL CENTER - Encontros Webnaries Performance and Música

Randolfe Rodrigues

Liberdade de imprensa é valor inalienável da sociedade civil

Dríade Aguiar

O que deveríamos estar fazendo no "Blackout Tuesday"

Fred Maia

Quando a montanha pariu um monstro

transpoetas

Demétrio Campos, presente!

André Barros

Viva Marielle! Fora Bolsonaro!

Movimento dos Pequenos Agricultores

Se não plantar agora, a fome virá em seguida

Tulio Ribeiro

Vingança! Viva o Rei Messias!

Luiz Henrique Eloy

Terras indígenas na pauta do Supremo: Teoria do indigenato versus marco temporal