Precisamos unir brasileiras e brasileiros em indignação geral da nação para tirar Bolsonaro da Presidência da República. Ele tem plena consciência de que o coronavírus é altamente contagioso e letal, em diversas cidades não há mais vagas nas UTIs, o colapso já chegou aos cemitérios e estamos alcançando o momento de pico da doença.

Diante das atuais circunstâncias, ao tomar todas as medidas para acabar com o isolamento social e estimular o retorno ao trabalho, Bolsonaro está conclamando as pessoas a um verdadeiro suicídio coletivo.

Suas atitudes já consistem num verdadeiro escândalo mundial, de maneira que o presidente do Brasil será julgado por Tribunais Internacionais. É evidente a sua vontade de entrar para a história como o autor do maior suicídio coletivo mundial. O único interesse de suas medidas é o de manter a pandemia no Brasil o maior tempo possível, na intenção de adiar seu impeachment e condenação por crime comum.

Quantos milhões de brasileiros que acreditaram e seguiram as orientações do presidente da República já foram contaminados e morreram pelo coronavírus (COVID-19)? O Brasil já é o sexto país do mundo em contaminação e mortes pelo coronavírus, podendo estar em posição bem mais à frente, pois tem o maior número de subnotificações. Nossa taxa de contágio é imensa, já que um, em cada quatro brasileiros que fizeram o teste, acusou positivo.

Os fatos aqui narrados são públicos e notórios. Milhões de pessoas que têm consciência, meios materiais e não exercem atividades essenciais, estão dentro de casa, com medo da morte.

Imaginem o que vai acontecer se, no auge da pandemia, milhões de pessoas estiverem andando pelas ruas, comendo em restaurantes na hora do almoço e circulando em ônibus, trens e metrôs? No país com a maior desigualdade social do planeta, os pobres são o maior grupo de risco da necropolítica do Bolsonaro. A vontade do presidente da República é liderar um suicídio coletivo jamais visto na história da humanidade.

A responsabilidade do que está acontecendo e o que pode vir acontecer é toda nossa. Temos de unir todo o Brasil para tirar Bolsonaro imediatamente desse projeto de morte coletiva. Como não podemos ir às ruas neste momento, temos de lutar com os instrumento que estão a nosso alcance: fazer barulhaço, lives, tomar as redes sociais, exigir o posicionamento dos meios de comunicação pelo imediato afastamento de Bolsonaro, cobrar da Procuradoria-Geral da República e do Supremo Tribunal Federal o pedido de instauração de processo por crime comum contra o presidente da República, bem como a autorização da instauração pelos deputados federais e, do presidente da Câmara dos Deputados, o recebimento dos pedidos de impeachment.

Tirar Bolsonaro da presidência da República é um dever humanitário das brasileiras e dos brasileiros que amam seu país!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Jorgetânia Ferreira

São Paulo merece Erundina

Bancada Feminista do PSOL

Do #EleNão ao Boulos e Erundina sim!

Fabio Py

Dez motivos para não votar no Crivella: às urnas de luvas!

Dríade Aguiar

Se matarem meu pai no mercado

transpoetas

Mês da Consciência Transnegra

Márcio Santilli

Bolsonaro-Frankenstein: cara de pau, coração de pedra e cabeça-de-bagre

Cleidiana Ramos

O furacão de tristezas que chegou neste 20 de novembro insiste em ficar

Tatiana Barros

Como nasce um hub de inovação que empodera pessoas negras

História Oral

Quando tudo for privatizado, o povo será privado de tudo e o Amapá é prova disso

Fabio Py

Derrotar Crivella para destronar o falso messias

Colunista NINJA

LGBTI+ de direita: precisamos de representatividade acrítica?

Juan Manuel P. Domínguez

São Paulo poderia ser uma Stalingrado eleitoral

Colunista NINJA

A histórica eleição de uma bancada negra em Porto Alegre

Bancada Feminista do PSOL

Três motivos para votar na Bancada Feminista do PSOL

Carina Vitral da Bancada Feminista

Trump derrotado nos Estados Unidos, agora é derrotar o bolsonarismo na eleição de domingo no Brasil