Ser negra ou negro é algo plural, não existe uma única forma e não falamos as mesmas coisas. O racismo, o machismo, a lgbtofobia e a gordofobia são opressões que passam por nossas vidas independente da área que estamos atuando. 

Por isso é necessário, principalmente a branquitude, entender e aceitar a pluralidade das existências negras. Sendo assim, fiz uma lista com indicação de dez pessoas negras que estão construindo novas narrativas em diversas áreas de atuação: desde o humor, passando pela pluralidade estética até o jornalismo investigativo. Pega a visão!

1- Sapas Gordas 

Criado por  Milly Costa, uma sapatão gorda, desinfluencer digital, multimilitante subversiva e candomblecista. O perfil Sapas Gordas no Instagram, surge para trazer a revolução estética, enaltecendo a pluralidade de corpos de lésbicas gordas em diversas situações.

2- Giovanna Heliodoro (TransPreta)

Giovana Heliodoro, é uma mulher trans, afrotansfeminista, artivista, historiadora, pesquisadora e apresentadora. Em seu canal no Youtube e no Instagram, Giovana compartilha suas vivências trans, debate questões de gênero, sexualidade, questões sociais e raciais.

3- Jhonathan Marques 

Jhonatan Marques é um humorista da Zona Leste de São Paulo. Em seu perfil do Instagram, ele faz vídeos de humor com temas ligados ao cotidiano de pessoas negras e da periferia.

4-Juliana Gonçalves 

Juliana Gonçalves é jornalista, mestranda em Políticas Públicas em Direitos Humanos da UFRJ, diretora de redes sociais do Intercept Brasil e integra o coletivo Minas da BXD. Em seu perfil no instagram, ela aborda temas jornalísticos relacionados a mulheres negras, movimentos sociais e política.

5- Théo S.

Théo S. é um homem trans negro, transativista, ativista do movimento negro, do movimento LGBTI+ Interseccional, escritor, palestrante e estudante de Serviço Social. No seu perfil do Instagram, Théo fala sobre suas vivências enquanto homem trans negro. Também administra a página Portal Transgênero Br.

6- Luana Carvalho

Luana Carvalho é uma mulher negra, gorda, idealizadora do Carnaval sem Gordofobia. Em seu perfil no Instagram, Luana aborda suas vivências enquanto mulher negra e gorda, liberdade corporal, reflexões e gordoativismo.

7- Liv Teodoro

Liv Teodoro é historiadora, criadora de conteúdo, idealizadora do WikiPreta(Raça e Gênero) e integrante do Clube Blogueiras Negras, um projeto voltado para apoiar o trabalho de blogueiras negras de vários estados do Brasil.

8- Bah Lutz

Bárbara Aguilar, é palestrante, professora, liderança negra acelerada pelo Fundo Baobá, designer, vocalista da banda Bertha Luz, fundadora do KilomboTech, preta, gorda e sapatão.

9-  Thamirys Borsan 

Thamirys Borsan é uma mulher negra e humorista da Zona Norte do Rio de Janeiro. Em seu Instagram, Thamirys produz vídeos de humor de situações da vida cotidiana dos cariocas suburbanos: desde perde o metrô até os enfrentamentos a violência promovidas pelos agentes do Estado.

10- Nathalia Braga

A Youtuber Nathalia Braga, é a rainha do #Afrodeboche, jornalista do Intercept Brasil e podcaster do Influência Negra. Em seu canal no Youtube, Nathalia entrevista personalidades diversas, fala sobre estética e traz excelente reflexões. Tudo isso sem perder o seu afro deboche.

Citei aqui apenas alguns exemplos de pessoas negras que estão por aí resistindo e construindo outras possibilidades de existência para nós. Para mim, construir novos horizontes também é um ato revolucionário. Convido vocês para deixarem nos comentários mais sugestões! Vamos seguindo, avante!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Bruno Ramos

Um ano do massacre de Paraisópolis

NINJA

Para Ver a Luz do Sol. 40 anos de reexistência cosmopolítica no Bixiga

Jorgetânia Ferreira

São Paulo merece Erundina

Bancada Feminista do PSOL

Do #EleNão ao Boulos e Erundina sim!

Fabio Py

Dez motivos para não votar no Crivella: às urnas de luvas!

Filipe Saboia

Recapitulando

Márcio Santilli

O que esperar de um próximo mandato presidencial

História Oral

O Mitomaníaco e os efeitos eleitorais da Pós-Falsidade

Márcio Santilli

Bolsonaro-Frankenstein: cara de pau, coração de pedra e cabeça-de-bagre

Cleidiana Ramos

O furacão de tristezas que chegou neste 20 de novembro insiste em ficar

Daniel Zen

O fim do império cognitivo

Colunista NINJA

LGBTI+ de direita: precisamos de representatividade acrítica?

Juan Manuel P. Domínguez

São Paulo poderia ser uma Stalingrado eleitoral

Colunista NINJA

A histórica eleição de uma bancada negra em Porto Alegre

Bancada Feminista do PSOL

Três motivos para votar na Bancada Feminista do PSOL