Em 25 de julho foi comemorado o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. Para além das homenagens nas redes sociais, precisamos exaltar também as intelectuais negras produtoras de saberes sobre as questões de Raça, Gênero, Sexualidade e Classe Social.

Deixo aqui para vocês, algumas indicações de autoras negras que eu admiro e um livro delas.

Lélia Gonzalez: Por um Feminismo Afro Latino Americano

A ativista política, pesquisadora, autora e intelectual Lélia Gonzalez traz reflexões sobre a articulação entre gênero e raça, o ser mulher e ser negra. O livro traz diversos textos de Lélia sobre a questão da mulher negra, a categoria de Amefricanidade, as experiências comuns das negras e negros nas Américas, o racismo alinhado ao sexismo na cultura brasileira e a política de branqueamento com a democracia racial.

Lélia Gonzalez- 1 de fevereiro de 1935:10 de julho de 1994 (Foto- Site UOL)

Audre Lorde: Sou Sua Irmã

A poeta, lésbica e ativista dos direitos civis Audre Lorde, aborda sobre as múltiplas identidades que podem atravessar uma mulher negra: ser negra, ser mãe, ser lésbica. Defende a poesia como política e a necessidade de quebrar os regimes de silêncio imposto pelas opressões articuladas.

Audre Lorde: 18 de fevereiro de 1934/17 de novembro de 1992 (Foto: Portal UFBA)

A intelectual negra e pedagoga Nilma Lino Gomes, faz o resgaste histórico das lutas por emancipação do movimento negro e das mulheres negras, articulado com a produção de conhecimento político e sabedorias ancestrais. É um ótimo livro para descolonização do conhecimento e conhecer as reivindicações sociais do movimento negro se tornando Políticas de Estado.

Nilma Lino Gomes: 13 de março de 1961. (Foto: Midia NINJA)

Angela Davis: Mulheres, Raça e Classe

A ativista, professora e filósofa Angela Davis, aborda nesse livro questões ligadas ao Feminismo Negro, Antirracismo e Luta de Classes. Construindo uma ponte entre academia e militância, ela resgata a história do Movimento Sufragista e as ações racistas cometidas pelas feministas brancas. É uma ótima leitura para quem quer entender o papel das mulheres negras nas lutas contra as opressões e emancipação da população negra, convidando a pensar em um novo modelo de sociedade.

Angela Davis: 26 de Janeiro de 1944. (Foto: Carta Capital)

Sueli Carneiro: Racismo, Sexismo e Desigualdade no Brasil

A escritora, filósofa e ativista Sueli Carneiro, nesta coletânea de artigos publicados na imprensa brasileira, traz reflexões sobre o racismo e o sexismo  na estrutura brasileira, relações raciais e política.

Sueli Carneiro: 24 de Junho de 1950. (Foto: Folha-UOL)

bell hooks: O Feminismo é para todo mundo- políticas arrebatadoras

A Teórica Feminista, Professora e Ativista Social bell hooks, utiliza uma linguagem simples e direta  neste livro. Para a autora, o feminismo é uma forma de amor com revolução, defendendo as mudanças sociais através das práticas feministas e nos convidando a pensar novas formas de socialização, justiça social e direitos equitativos.

bell hooks: 25 de setembro de 1952. (Foto: Casa Vogue)

Djamila Ribeiro: Pequeno Manual Antirracista

A Feminista Negra, Escritora e Filósofa Djamila Ribeiro, em seu livro “Pequeno manual Antirracista’’, utiliza uma linguagem didática para quem quer começar a ser aliade na luta contra o racismo. Além disso, explica o racismo como uma formação estrutural da sociedade brasileira e não apenas um ato individual de cada pessoa. Aborda sobre temas como racismo no ambiente de trabalho, violência racial e privilégios da branquitude.

Djamila Ribeiro: 1 de Agosto de 1980. (Foto: O Globo)

Grada Kilomba: Memórias da Plantação- Episódios de Racismo Cotidiano

A Psicóloga, Escritora e Teórica Grada Kilomba, em seu livro “Memórias da Plantação”, traz uma coletânea de pequenas histórias sobre racismo no cotidiano .Aborda sobre questões raciais relacionadas ao colonialismo , políticas de espaço, insultos raciais e normalidade do racismo. Reflexões importantes para práticas decoloniais.

Grada Kilomba: 1968. (Foto: Revista Cult)

Joice Berth: O que é empoderamento?

A Feminista Negra, Arquiteta e Urbanista Joice Berth, em seu livro, leva o debate sobre empoderamento para além da questão da identidade e estética.Aborda o problema do protagonismo social, empoderamento coletivo e conscientização.

Carla Akotirene: Interseccionalidade

A Pesquisadora, Escritora e  Professora Carla Akotirene, em seu livro, aborda sobre o Feminismo Negro e a Interseccionalidade. Defendendo que mulheres negras são plurais e enfrentam opressões diversas e diferentes.

Carla Akotirene (Foto:Carta Capital)

Me digam aqui nos comentários quais são as outras intelectuais negras que inspiram vocês. Até a próxima!

 

 

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

NINJA Esporte Clube

Brazilian Storm: Brasileiros chegam às finais da WSL, têm título inédito consagrado e estão entre os melhores do mundo

Movimento dos Pequenos Agricultores

O povo quer feijão e não fuzil: o Rio de Janeiro também produz feijão agroecológico

NINJA Esporte Clube

Corinthians supera Palmeiras e sai com vantagem pelo título do Brasileirão Feminino

Fred Maia

Correio deselegante de um flerte golpista

Renata Frade

Brasileiras combatem preconceito e racismo no sistema de saúde dos Estados Unidos 

Márcio Santilli

A peça que falta

Renata Lima

Aumento da pornografia infantil nas redes sociais e jogos online durante a pandemia

Juca Ferreira

O golpe virou tiro no pé

Márcio Santilli

Terras Indígenas: dá para resolver

Ana Claudino

Visibilidade lésbica é um direito humano!

Jorgetânia Ferreira

Assistam Valentina: a força do interior de Minas trans

William Filho

Por que tantas pessoas estão cultivando maconha?

Juca Ferreira

O tigrão golpista virou um gatinho democrático?

Luana Alves

Vacinação, segunda dose e defesa da vida nas periferias!