Foto: André Mantelli

Nós, Teatro Oficina Uzyna Uzona
nos solidarizamos ao Museu Nacional,
Y nos inflamamos, em coro de reexistência, para uma longa luta COSMOPOLÍTICA contra as políticas de destruição das ciências, dos saberes, da memória, da arte y da cultura em curso neste país.

Hoje, transfigurados em cinzas, 200 anos de história arrancados de nós.

É urgente encarnar a força da INSURREIÇÃO nos corpos diante da sucessão de tragédias nesta terra, brasil.

A queda vertiginosa no orçamento – e do pensamento ligado à ciência, arte, cultura e transe – neste país, é diretamente proporcional à altura e ao calor das chamas que comem nossa memória em carne viva.

Aqui agora: museu nacional e tantos outros de nós, humanos e não-humanos: símbolos atômicos em perigo! aparecemos e desaparecemos, acendemos e apagamos, cardioeletricamente plugados, em contracenação com as políticas de morte do Estado contras os povos, aliadas à tabela periódica das políticas de emburrecimento geral da nação.

Até abril deste ano, foram aplicados somente 54 mil reais na instituição
info via Tarcísio Motta

VEM
JUSTIÇA JUSTA DE XANGÔ
VISÍVEL
RAIA JÁ!
DE MACHADO LUMINADO!
– canto pra xangô em Bacantes, no Teatro Oficina Uzyna Uzona.

SEJAMOS FÔLEGO Y FORÇA
UNS AOS OUTRXS
A LUTA É COSMOPOLÍTICA

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Daniel Zen

Ainda sobre a economia nacional…

Cleidiana Ramos

Com inserção na literatura, ialorixás ensinam caminhos de resistência

Fátima Lacerda

Os Deuses estão em festa: Gilberto Gil em Berlim!

Daniel Zen

De aerolula a aeroína: as falhas na segurança institucional do presidente da República

Tainá de Paula

Não há mídia isenta, meus caros

Sâmia Bomfim

Reforma da Previdência: a luta não acabou

Jorgetânia Ferreira

Tenho depressão, quem não?

Daniel Zen

As mensagens secretas da Lava-jato: medidas antidemocráticas pairam no ar

Colunista NINJA

'A única coisa que salva um país é a cultura', afirma Moacyr Luz

Mônica Horta

Moda autoral brasileira presente!

Mônica Horta




Criadores autorais do Brasil... cadê vocês?

Fátima Lacerda

Milton e Gil fazem do verão berlinense, uma Delicatessen musical

Dríade Aguiar

Amarelo como o futuro que nós construímos pra nós mesmos

Fátima Lacerda

Por que, Berlim?

André Barros

Aperta a pauta, Toffoli