Escolha uma Página

Arte: Mídia NINJA

Sabe de uma coisa?

Quando a gente pensa no que está acontecendo no país: o governo é espúrio; as reformas são ofensivas a qualquer noção de dignidade; a impunidade dos delatados, que estão no poder, não importa quanta prova haja, é o fato político e a política de fato; a matança generalizada na periferia, no campo, e entre os povos originais é acobertada pelo Estado, quando não é este que a executa; o aumento do poder discricionário do Judiciário que, agora, dispensa a necessidade da materialidade do crime para condenar alguém como criminoso… A gente começa se dar conta de que a gente não conta.

Um representante das forças armadas disse que tudo deve se acertar nas eleições. Bom saber que as forças armadas reconhecem que este é um problema civil, e é bom saber que alguém do poder quer eleições.

Pergunto: As forças populares, depois dos desfechos judiciais sustentados pela ignorância dos fatos e dos conceitos, já por duas vezes, terão candidato para o cargo majoritário, para essas eleições?

Continuo dizendo que o impeachment tem que ser anulado, para que as eleições sejam consequência do processo democrático e não um favor dos golpistas, seja por pressão ou por qualquer manobra; até porque, assim que terminar seu “mandato” o atual presidente passará a condição de inelegível, pois perdeu os direitos eleitorais em ação anterior, quando ainda era vice-presidente; e, mais, correrá o risco de ter que responder a tudo do que é acusado… Difícil pensar que ele não esteja buscando uma saída.

Se não houver anulação do impeachment, e se não houver saída para esse imbróglio causado pelo Judiciário, a ex-presidenta Dilma Rousseff é a minha candidata: ela pode por lei. Ela, que, certamente, aprendeu muito, seria a candidata para redimir o país. Além do que eu adoraria vê-la enquadrando os candidatos da elite como meros golpistas, que é o que são.

 

 

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Marta Dillon

Não há um mundo possível sem as lésbicas
Ver agora

Leandrinha Du Art

Leandrinha Du Art: Ser travesti é ser uma sobrevivente
Ver agora

Renata Mielli

Distritão e Reforma Política: Pior do que tá, fica!
Ver agora

Ivana Bentes

Rio 360 graus! Michael Jackson de fuzil, braços abertos sobre o Santa Marta
Ver agora

João Brant

João Brant: Vou na contramão, reforma política pode ser avanço, apesar do distritão
Ver agora

Isa Penna

Isa Penna: O Fascismo é um perigo!
Ver agora

Jandira Feghali

O que está acontecendo com o Rio de Janeiro?
Ver agora

Pastor Ariovaldo

Pastor Ariovaldo: Nós, os Bananas
Ver agora

Daniel Zen

Regulamentar as drogas não é um 'libera geral'
Ver agora

Jandira Feghali

Jandira Feghali: É pela vida das mulheres
Ver agora

Antonia Pellegrino

Atenção mulheres, com o distritão a coisa só piora
Ver agora

Marcelo Freixo

Marcelo Freixo: O que é o Distritão
Ver agora

Guilherme Boulos

Guilherme Boulos: 3 Pontos para uma Reforma Política
Ver agora

Sâmia Bomfim

11 anos de Lei Maria da Penha: Doria e Temer inimigos das mulheres
Ver agora

Margarida Salomão

O fim do mundo chegou para as universidades brasileiras
Ver agora