.

Um jurista, membro da “elite” branca brasileira, disse que não sabe como vai fazer para viver no país porque não é negro, nem índio, nem da população LGBT, nem invasor de terras e, portanto, não sabe como vai conseguir viver aqui no Brasil.

O que este advogado não entende, ou melhor, não quer entender, é que, graças à injustiça que há no Brasil, ele e a classe que ele representa é que vivem com a dignidade e qualidade que todo cidadão deveria viver. Mas, estas pessoas que ele citou: o negro, o, pobre, o índio, o sem teto e sem terra, o membro da população LGBT, é que, de fato, não vivem, e não vivem porque gente como ele não deixa!

No Brasil os parlamentares fazem a lei, como de resto, em qualquer nação democrática, porém, no Brasil os parlamentares decidem se vão ou não cumprir a lei estabelecida por eles, e eles chamam isso de separação de poderes, isto é: o Judiciário que julga se houve ou não o cumprimento da lei, quando o juízo for contra um parlamentar, o Judiciário tem de lhes perguntar se pode ou não executar a lei.

O jornalista fez um comentário racista, estão dizendo que ele deve ser perdoado… Jesus pediu que o Pai perdoasse os que não sabem o que fazem, porém, o jornalista, até por força da profissão, sabia o que estava fazendo.

Aos que sabem o que fazem Jesus pediu o juízo do Pai.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Monique Prada

Monique Prada: Pode a puta de luxo falar?

Renata Mielli

Fake News: A apologia da verdade como instrumento de censura

Ivana Bentes

Museu Nacional: Não é acidente, é barbárie!

Lindbergh Farias

Lindbergh Farias: Globo não me representa

Israel do Vale

Israel Do Vale: O que será da Folha nas mãos do irmão que sempre cuidou da área comercial?

Laio Rocha

Como frear o encarceramento em massa no Brasil e nos EUA?

Pastor Ariovaldo

Pastor Ariovaldo: Trabalho como estímulo para o progresso da comunidade

Ericka Gavinho

Ericka Gavinho: Em que sociedade nos transformamos?

Renata Mielli

Caso Bolsonaro: vamos conversar sobre fascismo e ódio?

Gabinetona

Plano diretor e a luta pela gestão democrática das cidades

Tulio Ribeiro

Mattis e o roubo do século

Tulio Ribeiro

A dolarização e o neocolonialismo

André Barros

Paes é Cabral. Cabral é Paes

André Barros

Criminalização racista da maconha

Jean Wyllys

Jean Wyllys: 6 perguntas para Jair Bolsonaro