.

Estive no lançamento da biografia no cardeal-arcebispo de São Paulo Dom Paulo Evaristo Arns, falecido a um ano, foi um privilégio ter tomado lugar na mesa que discursou sobre a contribuição de Dom Paulo na luta pelos direitos humanos no Brasil.

Dom Paulo Evaristo Arns foi cardeal-arcebispo de São Paulo durante o período da ditadura militar e foi um dos maiores defensores dos direitos humanos, um dos maiores opositores da ditadura, e umas das maiores expressões nacionais de repúdio a tudo o que estava acontecendo no país, e que, agora, com uma nova roupagem, volta a acontecer no Brasil.

Rever a pessoa de Dom Paulo, por meio de sua biografia, é essencial, porque hoje precisamos da inspiração que ele significa para enfrentarmos a nova versão da mesma ditadura.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Daniel Zen

Jair Bolsonaro e Gladson Cameli: o tiozão do churrasco e seu sobrinho dileto

Felipe Milanez

Assassinato de indigenista da Funai na Amazônia precisa de investigação federal

Mônica Horta

Moda democrática e o novo mundo

Estudantes NINJA

O Brasil está em chamas e a rua te chama

Benedita da Silva

Benedita da Silva: Bolsonaro imita Nero

NINJA

Toninho Geraes: “Sou a favor do grito de liberdade contra essa tirania que assola o país”

NINJA

O escândalo das eleições gerais em Trinidad & Tobago

NINJA

“Precisamos ter voz para acabar com essa onda da extrema direita”, alerta Teresa Cristina

NINJA

Feminismo nas igrejas: "não queremos tomar o poder dos homens, mas destituí-lo"

Liana Cirne Lins

Brasil abaixo de fezes, cocô por cima de todos

Estudantes NINJA

Um (quase) final de ano de tantos retrocessos

NINJA

“Não colem em mim esse discurso da meritocracia”, diz Conceição Evaristo

Preta Rara

A senzala moderna é o quartinho da empregada

NINJA

A criminalização do aborto e o feminicídio de Estado

NINJA

“O samba é a coisa mais importante na cultura brasileira”, ressalta Zé Luiz do Império