Série Crentes e Pregadores, de Bárbara Wagner

O prefeito da cidade dos bandeirantes, cuja política educacional permite que crianças sejam marcadas para não repetir a merenda escolar, merenda, cujo volume, outrora suficiente para uma semana, agora, é o diponibilizado para o mês todo, viaja às custas de sua pífia administração, saudado por ovos, como seu congênere, numa indisfarçável campanha para presidente de republiqueta.

Mas, por outro lado, contra todos os detratores e agentes da repressão à vontade popular e à democracia, inclusive togados, o ex-presidente da República Federativa do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva, é ovacionado em sua caravana pelo nordeste, deixando claro que sua candidatura, além de ser anti-ditadura, como foi a de Ulisses Guimarães, é exigência da democracia golpeada.

Graças ao fatídico, ofensivo e abusivo “mandato coletivo” supostos agentes da segurança pública são acusados de adentrar casas de trabalhadores, na cidade maravilhosa, e, simplesmente, consumir iogurtes e que tais, certamente, com sacrifício, adquiridos por pais ciosos em satisfazer o legítimo desejo de suas crianças.

Apesar disso, vídeo amador flagra mulheres pretas, em uma das comunidades cariocas aviltadas, resistindo ao desrespeito dessas forças, tidas como de segurança pública, ao som de hineto evangélico que ressalta o valor que Cristo reconhece e confere ao ser humano, levando alguém a sugerir que a revolução será feminina, preta e pentecostal.

A brava gente brasileira começa a reagir!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Jean Wyllys

Jean Wyllys: Não se faz fofoca com o assassinato de Marielle

Ericka Gavinho

Segurança pública e eleições

Pastor Ariovaldo

Pastor Ariovaldo: As relações de trabalho

Vinícius Lima

O que aprendi conversando com o invisível: Genival

Boaventura de Sousa Santos

Boaventura de Sousa Santos: As esquerdas no novo ciclo político

Vinícius Lima

SP Invisível: Maria aparecida de Jesus, mas pode me chamar de Doidinha

Tulio Ribeiro

O tango que os Argentinos não gostaram

Mônica Horta

A não-moda brasileira

Liana Cirne Lins

É hora do PT mostrar que aprendeu

André Barros

Lula será candidato?

André Barros

Criminalização racista da maconha

Jean Wyllys

Jean Wyllys: 6 perguntas para Jair Bolsonaro

Pastor Ariovaldo

Pastor Ariovaldo: Trabalho como direito e espaço de realização

André Barros

As 23 condenações de junho de 2013

André Barros

Maconha e receita tributária