Foto: Cobertura HIV2020

Depois do encerramento da Conferência IAS 2019 sobre Ciência do HIV na Cidade do México, em junho deste ano, redes mundiais lideradas por comunidades de pessoas que vivem com HIV e populações-chave uniram forças com ativistas mexicanos e latino-americanos para continuar o planejamento da Conferência HIV 2020.

O “HIV2020: Comunidade Reivindicando a Resposta” será uma convocação alternativa para as pessoas que não podem ou não querem entrar nos Estados Unidos para participar da Conferência Internacional sobre a AIDS 2020 (IAS2020), que será realizada em São Francisco / Oakland no próximo ano. Ativistas e defensoras/es de direitos humanos haviam recomendado não trazer a Conferência Internacional sobre a AIDS para os Estados Unidos, dadas as leis americanas de imigração dos trabalhadores da administração de Trump, suas políticas de detenção e separação familiar e a deterioração das condições de direitos humanos do país.

A Conferência HIV2020 reafirmará o papel fundamental que desempenham as comunidades na resposta ao HIV a nível mundial, além de destacar a importância dos direitos humanos. Ativistas também utilizarão o HIV2020 como uma oportunidade para discutir os desafios específicos que enfrentam as pessoas que vivem com o HIV e/ou são afetadas pelo HIV no México e no continente latino-americano.

Em um ato extraordinário de solidariedade, um grupo internacional de pessoas que vivem com HIV, homens gays e bissexuais, pessoas que usam drogas, profissionais do sexo, transgêneros, jovens e defensores de povos indígenas trabalharam juntos para criar uma estrutura de evento especificamente adaptada às necessidades de membros da comunidade. Os ativistas nomearam seis temas que determinam um programa para o VIH2020, que inclui:

1. Assuntos pendentes sobre o HIV, incluindo a incidência do HIV sem diminuição entre as populações-chave, com foco na criminalização, o estigma e a discriminação em curso que enfrentam;

2. Acesso ao tratamento de HIV e serviços de saúde de qualidade;

3. Programas comunitários dirigidos às populações-chave;

4. Financiamento / investimento em respostas comunitárias ao HIV dirigidas às populações-chave;

5. Interseccionalidade e diversidade dentro de nossas comunidades; e

6. Ligação do HIV com movimentos mais amplos de saúde, justiça social e direitos humanos.

Tendo em conta os objetivos e temas do HIV2020, os ativistas e defensores de direitos humanos concordaram com uma estrutura única para o evento. O HIV2020 será precedido pela participação ativa dos meios de comunicação, pesquisadores, políticos, patrocinadores e representantes da indústria farmacêutica, com o objetivo de aumentar a visibilidade do evento. O evento em si terá um programa de 3 dias.

O primeiro dia representa uma oportunidade de afinidades: grupos temáticos e oportunidades para que grupos profissionais, redes globais, defensores nacionais e regionais se reúnam e tenham discussões “internas”.

O segundo dia tratará sobre a interseccionalidade na resposta ao HIV em que será apresentada uma série de programas durante todo o dia, eleitos a partir de uma convocatória aberta. O 2º dia incluirá programas científicos e temáticos, atividades de formação e treinamento e oportunidades para examinar o sucesso de programas emblemáticos liderados pela comunidade.

O terceiro dia foi carinhosamente chamado “o dia da solidariedade“. Este dia vai reunir grupos de afinidade e se concentrará em discussões interseccionais sobre o lidar com o HIV. Especificamente, neste dia, ocorrerão palestras, plenárias e painéis de discussão que têm como objetivo reunir as principais mensagens do primeiro e segundo dias e definir os próximos passos para uma resposta abrangente ao HIV dirigida por e para a comunidade.

As/os parceiras/os do HIV2020 também concordaram em usar o evento para promover uma plataforma de advocacia transversal que inclua acabar com as leis, políticas e práticas opressivas que afetam negativamente as pessoas que vivem com o HIV e/ou são afetadas por ele. Os ativistas e defensoras/es de direitos humanos também voltaram a se comprometer a responsabilizar os governos para a prestação de serviços de prevenção, atenção e tratamento do HIV e de outros serviços de saúde de alta qualidade, acessíveis, informados por evidências, e baseados nos direitos humanos.

Em setembro de 2019, a Aliança VIH2020 abrirá as inscrições e emitirá uma solicitação de interesse de oficinas e apresentações no programa principal do evento. Em outubro 2019, os organizadores também abrirão solicitações de bolsas de estudo para ajudar ativistas e defensores de direitos humanos para participar do evento e garantir que mais membros da comunidade tenham os meios para participar ativamente.

Para obter mais informações e se manter atualizado sobre os últimos acontecimentos da Conferência VIH2020, visite www.HIV2020.org ou entre em contato [email protected]

Siga o evento nas redes sociais:
Instagram – @HIV2020Conf
Twitter – @HIV2020
Salve esta data e confirme presença: https://www.facebook.com/events/569553690124963/