.

Guilherme Boulos fez barba, cabelo e bigode no Roda Viva. Durante todo o programa, centrou fogo no que é a questão mais importante para a esquerda: o abismo da desigualdade social. Defendeu uma reforma da previdência “por cima”: cobrança das dívidas das grandes empresas, combate aos privilégios… além disso, atacou uma questão que é muito importante pra mim e foi uma prioridade da minha atuação no Senado: a reforma tributária para garantir que os milionários paguem impostos no Brasil.

Apresentei a PEC 116/2011 para corrigir uma aberração citada por ele: hoje, jatinhos, iates, helicópteros e lanchas são ISENTOS de impostos. É um descalabro: um trabalhador que compra, com muito sacrifício, um carro popular usado, terá que pagar IPVA. Já o empresário que tem um jatinho não paga coisa alguma!

Boulos enfatizou também outra questão que eu tratei no Senado: a tributação de lucros e dividendos, que é o tema do PLS 588/2015. O exemplo utilizado por ele é excelente para ilustrar a questão: a alíquota mínima do Imposto de Renda é de 7,5% (quem ganha três salários mínimos, por exemplo, está nesta faixa). Joesley Batista, da JBS, recebeu, em um único ano, cem milhões de reais em lucros e dividendos, e pagou apenas 0,5% de imposto! Tributar lucros e dividendos pode gerar uma arrecadação superior à 100 bilhões de reais ao ano, o que fortalece a capacidade de investimento do Estado para gerar oportunidades e combater as desigualdades!

Por fim, Boulos defendeu a PEC 51 ao abordar o tema da segurança pública. A PEC 51/2013, que também apresentei, é um projeto global de reforma, mudando a arquitetura institucional da segurança pública, garantindo a carreira única nas polícias e o ciclo completo do trabalho policial: a ação preventiva, ostensiva e investigativa, além de estabelecer a desmilitarização (o fim do vínculo orgânico com o Exército e do espelhamento organizacional).

A entrevista, repito, foi um show. E foi muito positivo ver que a esquerda tem muita unidade não só na denúncia do golpe, mas também no diagnóstico dos problemas mais dramáticos vividos pelo povo brasileiro. Parabéns, Boulos!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Boaventura de Sousa Santos

Boaventura de Sousa Santos: A intransparente transparência: Assange, Lula e Moro

Clayton Nobre

Quem levou o BBB?

Spartakus Santiago

1 cor e 80 tiros: Por que precisamos lembrar que vidas negras importam?

Preta Rara

Enquanto a dor preta só atingir os corpos pretos, vamos continuar morrendo todos os dias

Tainá de Paula

Tainá de Paula: Impeachment? Renuncie, Crivella

Benedita da Silva

Lula Livre: A bandeira da luta pela democracia

Sâmia Bomfim

Bolsonaro: 100 dias de desgoverno

Manuela d'Ávila

Manuela d'Ávila: Nunca me senti tão bonita como me sinto aos 37

Ivana Bentes

Tortura: podia ser eu ou você

Movimento dos Pequenos Agricultores

Mulheres camponesas, resistência e as políticas do governo Bolsonaro

Bruno Ramos

Foram 80 tiros, mano! E não era gravação do Rambo

Sâmia Bomfim

Samia Bomfim: 31 de março: nada a celebrar

Daniel Zen

Comitiva brasileira se porta como uma república de bananas em terras de Tio Sam

Preta Rara

Quando a dor é preta, não viraliza

Macaé Evaristo

Macaé Evaristo: Levante por Marielle