Foto: Mídia NINJA

Acho que a decisão de prender Lula já está tomada. E me parece que não vai demorar.

Isso significa que o golpe entrou em nova fase. Estão se sentindo em condições e fortes para dar o golpe final antes das eleições.

Acho que inevitavelmente virá a fase repressão. Seletiva, planejada, sem a brutalidade exposta como na ditadura militar.

Parece que praticamente fecharam todo o universo institucional. Não tenho condições de ter uma radiografia do poder, mas não tenho dúvida que esse golpe que estamos vivendo tem planejamento, articulação e que trabalham de forma muito articulada.

O que resta neste nível institucional devemos disputar. Temos do nosso lado, potencialmente a maioria do povo, setores democráticas, a maioria dos intelectuais, os movimentos sociais e uma consciência e uma memória dos ganhos e avanços dos nossos governos.

A luta é entre a democracia e o estado de direito versus a ditadura jurídica/midiática/parlamentar.

Me angustia que não estejamos nos preparando e debatendo; que a direção e seus órgãos dirigentes não estejam analisando junto às bases a evolução da situação. Por paradoxal que seja a direita avança e ao mesmo tempo o movimento democrático cresce. Somos responsáveis por essas pessoas que estão se expondo para defender a democracia e o presidente Lula. Existe um invento democrático forte e em crescimento.

Vejo na internet uma radicalização das nossas bases sociais principalmente da juventude. E uma certa confusão sobre o que fazer.

Achei certo desmobilizar a concentração em POA antes do resultado. Naturalmente viraria o primeiro confronto, tudo que a direita quer. Matar esse movimento no nascedouro.

Mas o movimento social em geral precisa que os partidos e seus dirigentes orientem e interpretem esse momento, apontado para o que fazer. Entramos em uma nova conjuntura depois de 24 de janeiro.

A sensação de muitos e minha também é que estamos atrasados. A direita está sabendo o que quer de cada momento e tem extraído dividendos políticos. Estão mantendo a dianteira, organizando o cenário e estão se dando bem até agora.

Não estamos mortos nem liquidados. Pelo contrário. Lula só cresce e nossa base ampliou. Estamos vendo nascer um grande movimento democrático de massa. O caráter ditatorial está cada dia mais explícito.

Vai ser preciso analisar esse novo momento e orientar o movimento democrático.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Daniel Zen

Aos que votavam em Bolsonaro por "honestidade", podem arrumar outro motivo ou voto

Renata Mielli

Podem ter roubado seus dados do Facebook para alterar o resultado da eleição

Gabinetona

Economia pelo bem viver

Caetano Veloso

Caetano Veloso responde a Olavo de Carvalho

Monique Prada

Monique Prada: Pode a puta de luxo falar?

Ivana Bentes

Delírio de onipotência: A carta de Bolsonaro ao povo brasileiro é um obituário para a democracia

Movimento dos Pequenos Agricultores

Soberania Alimentar e o que está em jogo nesta corrida presidencial

Boaventura de Sousa Santos

Boaventura de Sousa Santos: As Democracias também morrem democraticamente

Jean Wyllys

Jean Wyllys: Operação Lava-Zap

Tulio Ribeiro

Milagro Sala: Os mil dias de uma prisão injusta

Tulio Ribeiro

O genocídio palestino

Jean Wyllys

Jean Wyllys: Legado dos governos petistas foi mais importante na educação

Tulio Ribeiro

Mattis e o roubo do século

Tulio Ribeiro

A dolarização e o neocolonialismo

André Barros

Paes é Cabral. Cabral é Paes