Foto: Mídia NINJA

Acho que a decisão de prender Lula já está tomada. E me parece que não vai demorar.

Isso significa que o golpe entrou em nova fase. Estão se sentindo em condições e fortes para dar o golpe final antes das eleições.

Acho que inevitavelmente virá a fase repressão. Seletiva, planejada, sem a brutalidade exposta como na ditadura militar.

Parece que praticamente fecharam todo o universo institucional. Não tenho condições de ter uma radiografia do poder, mas não tenho dúvida que esse golpe que estamos vivendo tem planejamento, articulação e que trabalham de forma muito articulada.

O que resta neste nível institucional devemos disputar. Temos do nosso lado, potencialmente a maioria do povo, setores democráticas, a maioria dos intelectuais, os movimentos sociais e uma consciência e uma memória dos ganhos e avanços dos nossos governos.

A luta é entre a democracia e o estado de direito versus a ditadura jurídica/midiática/parlamentar.

Me angustia que não estejamos nos preparando e debatendo; que a direção e seus órgãos dirigentes não estejam analisando junto às bases a evolução da situação. Por paradoxal que seja a direita avança e ao mesmo tempo o movimento democrático cresce. Somos responsáveis por essas pessoas que estão se expondo para defender a democracia e o presidente Lula. Existe um invento democrático forte e em crescimento.

Vejo na internet uma radicalização das nossas bases sociais principalmente da juventude. E uma certa confusão sobre o que fazer.

Achei certo desmobilizar a concentração em POA antes do resultado. Naturalmente viraria o primeiro confronto, tudo que a direita quer. Matar esse movimento no nascedouro.

Mas o movimento social em geral precisa que os partidos e seus dirigentes orientem e interpretem esse momento, apontado para o que fazer. Entramos em uma nova conjuntura depois de 24 de janeiro.

A sensação de muitos e minha também é que estamos atrasados. A direita está sabendo o que quer de cada momento e tem extraído dividendos políticos. Estão mantendo a dianteira, organizando o cenário e estão se dando bem até agora.

Não estamos mortos nem liquidados. Pelo contrário. Lula só cresce e nossa base ampliou. Estamos vendo nascer um grande movimento democrático de massa. O caráter ditatorial está cada dia mais explícito.

Vai ser preciso analisar esse novo momento e orientar o movimento democrático.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Felipe Milanez

Assassinato de indigenista da Funai na Amazônia precisa de investigação federal

Mônica Horta

Moda democrática e o novo mundo

Estudantes NINJA

O Brasil está em chamas e a rua te chama

Benedita da Silva

Benedita da Silva: Bolsonaro imita Nero

André Barros

Não se combate o tráfico na favela

NINJA

Toninho Geraes: “Sou a favor do grito de liberdade contra essa tirania que assola o país”

NINJA

O escândalo das eleições gerais em Trinidad & Tobago

NINJA

“Precisamos ter voz para acabar com essa onda da extrema direita”, alerta Teresa Cristina

NINJA

Feminismo nas igrejas: "não queremos tomar o poder dos homens, mas destituí-lo"

Liana Cirne Lins

Brasil abaixo de fezes, cocô por cima de todos

Estudantes NINJA

Um (quase) final de ano de tantos retrocessos

NINJA

“Não colem em mim esse discurso da meritocracia”, diz Conceição Evaristo

Preta Rara

A senzala moderna é o quartinho da empregada

NINJA

A criminalização do aborto e o feminicídio de Estado

NINJA

“O samba é a coisa mais importante na cultura brasileira”, ressalta Zé Luiz do Império