.

Que tragédia! A história do Brasil queimando! 20 milhões de peças e documentos destruídos! Museu Nacional da UFRJ queimando inteiro, séculos de arqueologia, peças, esqueletos, cultura indígena, fauna, flora, tudo! Camadas de tempo e de história e conhecimento. 200 anos de documentos, toda a história do império queimado, paleontologia, antropologia do Brasil. Prédios históricos, tombados, muitos deles dentro dos quais damos aula, pesquisamos, orientamos. Essa precariedade não é descaso da UFRJ, não existe política pública para manter e conservar nosso patrimônio.É o mesmo descaso com o patrimônio, a pesquisa, a ciência e tudo que é PUBLICO. O Museu sobrevive com o mínimo de recursos do Estado. O público fazia vaquinha para ajudar na manutenção! São incêndios e tragédias que não são ainda mais frequentes nem sabemos porquê. Na adversidade vivemos e as universidades fazem muito e muitíssimo com muito pouco. Damos aulas em palácios, castelos, museus, hospícios históricos. O MAM queimou, o acervo de Helio Oiticica queimou, a Cinemaca Brasileira pegou fogo, o Museu da Língua Portuguesa queimou! É muita falta de amor ao Brasil e sua cultura exuberante. Às vezes as metáforas se tornam literais . Um Brasil que está dando as costas para sua história e para seu futuro, queimando tudo o que prezamos! Imagem não de um acidente, mas da barbárie! É essa a política que está destruindo o país: Estado mínimo, plataformas privatizantes, odiadores da cultura, politicas de desinvestimento no comum!

P.S.E não venham dizer que a culpa é da UFRJ! Patrimônio público precisa de recurso e investimento público. Se o Museu não fechou antes foi graças aos pesquisadores, público e comunidade acadêmica !!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Felipe Milanez

Assassinato de indigenista da Funai na Amazônia precisa de investigação federal

Mônica Horta

Moda democrática e o novo mundo

Estudantes NINJA

O Brasil está em chamas e a rua te chama

Benedita da Silva

Benedita da Silva: Bolsonaro imita Nero

André Barros

Não se combate o tráfico na favela

NINJA

Toninho Geraes: “Sou a favor do grito de liberdade contra essa tirania que assola o país”

NINJA

O escândalo das eleições gerais em Trinidad & Tobago

NINJA

“Precisamos ter voz para acabar com essa onda da extrema direita”, alerta Teresa Cristina

NINJA

Feminismo nas igrejas: "não queremos tomar o poder dos homens, mas destituí-lo"

Liana Cirne Lins

Brasil abaixo de fezes, cocô por cima de todos

Estudantes NINJA

Um (quase) final de ano de tantos retrocessos

NINJA

“Não colem em mim esse discurso da meritocracia”, diz Conceição Evaristo

Preta Rara

A senzala moderna é o quartinho da empregada

NINJA

A criminalização do aborto e o feminicídio de Estado

NINJA

“O samba é a coisa mais importante na cultura brasileira”, ressalta Zé Luiz do Império