O ciclo do extremista religioso leva à violência. Passa por medo, aversão, repulsa, desprezo, indiferença e ódio, ambiente adequado para que a violência aconteça.

A bancada parlamentar evangélica, tem como principal característica a intolerância e o extremismo, comumente se associam às bancadas do boi e da bala, pregam a pena de morte o encarceramento em massa, e se articulam nos seguidos golpes aos trabalhadores, tudo em nome de um deus, “com d minúsculo”.

Segundo as pesquisas apontam essas características se distanciam do pensamento da maioria dos evangélicos no Brasil, que não se sentem representados por essa bancada. Confira a coluna do Pastor Henrique Vieira sobre o tema:

 

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Cleidiana Ramos

Com inserção na literatura, ialorixás ensinam caminhos de resistência

Fátima Lacerda

Os Deuses estão em festa: Gilberto Gil em Berlim!

Daniel Zen

De aerolula a aeroína: as falhas na segurança institucional do presidente da República

Tainá de Paula

Não há mídia isenta, meus caros

Juan Manuel P. Domínguez

Ave Terrena: “a cultura enriquece debates quando as instituições os empobrecem”

Jorgetânia Ferreira

Tenho depressão, quem não?

Daniel Zen

As mensagens secretas da Lava-jato: medidas antidemocráticas pairam no ar

Colunista NINJA

'A única coisa que salva um país é a cultura', afirma Moacyr Luz

Mônica Horta

Moda autoral brasileira presente!

Daniel Zen

É a economia, estúpido!

Fátima Lacerda

Milton e Gil fazem do verão berlinense, uma Delicatessen musical

Dríade Aguiar

Amarelo como o futuro que nós construímos pra nós mesmos

Fátima Lacerda

Por que, Berlim?

André Barros

Aperta a pauta, Toffoli

Colunista NINJA

“Fazer samba é uma resistência e está totalmente ligado à política”, afirma Júlio Macabu da nova geração