.

Fotos de Mídia Ninja, Coletivo Iso314 e LuaLeca

15 mulheres marcam de ir a praia. O número por si só chama atenção. Onde vai tanta mulher junta? Porque tanta mulher junta?

Impacto número dois: são negras. Dançando entre os espectros coloristas, com miscigenações indígenas, todas negras. Olhares de curiosidade, cochichos entre os homens, alguns ambulantes param pra ver.

Impacto número três: são gordas. Gordas. Não são cheinhas, fofas, de ossos grandes. São gordas, se chamam de gordas e se abraçam gordas. Agora as pessoas já param pra olhar, apontam o dedo e gritam ofensas aleatórias. Quando param para uma pose, outras cinco ou seis câmeras aparecem e é preciso explicar a essas pessoas que nossos corpos são são públicos.

Somos só 15 mulheres negras e gordas na praia.

Tudo bem, não é qualquer praia.
É o Porto da Barra, praia turística, point do carnaval, cheia de gringos. Uma das referências de Salvador, sempre nas listas de top praias do Brasil.

A proposta começa como um ensaio desses corpos nessa praia, mas se torna intervenção. Jornalistas, transeuntes, vendedores, todes param para ver as gordas passarem.

Mesmo com os olhares de reprovação e indignação, uma coisa é fato — não é possível ignorar mulheres. Pretas. Gordas.

E daqui pra frente, vai ser sempre assim.

.

.

.

.

.

.

.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Araquém Alcântara

Araquém Alcântara: 'A Ferro e Fogo'

Tainá de Paula

Tainá de Paula: Wilson Witzel e o chicote da barbárie

André Barros

É o coco do Figueiredo ou o cocô do Bolsonaro?!

Dríade Aguiar

Uma sessão solene para minha tia, uma marcha para minha vó

NINJA

General defende legalização da maconha medicinal?

NINJA

Feminismo nas igrejas: "não queremos tomar o poder dos homens, mas destituí-lo"

Liana Cirne Lins

Brasil abaixo de fezes, cocô por cima de todos

Tainá de Paula

Tainá de Paula: A (não) política habitacional de Witzel e Crivella

André Barros

Bolsonaro é pior que Creonte

Pedro Henrique França

Djanira: clipe de Illy aborda a descriminalização da maconha e empreendedorismo da cannabis

NINJA

“Não colem em mim esse discurso da meritocracia”, diz Conceição Evaristo

Preta Rara

A senzala moderna é o quartinho da empregada

NINJA

A criminalização do aborto e o feminicídio de Estado

NINJA

“O samba é a coisa mais importante na cultura brasileira”, ressalta Zé Luiz do Império

Mônica Horta




Criadores autorais do Brasil... cadê vocês?