.

Agora que Lula está preso e nenhum outro político de larga envergadura está (e nem estará, a exceção do cleptomaníaco do Sérgio Cabral e do psicopata do Eduardo Cunha) a coxinhada vestida de canarinho e seguidora de patos de borracha infláveis (o que tem de pior no universo da direitalha brasileira), que fica buscando argumentos e justificativas para todo tipo de abuso e arbítrio praticado pelos seus, afirmam que Temer, Jucá, Padilha, Aécio, Alckmin, Serra etc só não estão presos porque detém “foro privilegiado”.

Pois bem. Alckmin não mais detém foro privilegiado, pois acaba de renunciar ao cargo de Governador do Estado de São Paulo para se dedicar a uma pretensa pré-candidatura à Presidência da República. Com ele, mais quatro governadores de estado, todos citados em investigações de corrupção, estão sem prerrogativa de foro, pois se encontram igualmente afastados, por conta da legislação eleitoral. E o que aconteceu? Em 11/04/2018 o STJ remeteu investigação sobre Alckmin, no âmbito da Lava-Jato, para a Justiça Eleitoral de São Paulo.

Detalhe: isso ocorre na mesma semana em que Lula é mandado a prisão, de modo semelhante ao que já tinha ocorrido com Serra, que teve processo arquivado, por prescrição, no mesmo dia em que o TRF-4 confirmava a sentença em desfavor de Lula…

Sigamos: FHC não detém foro privilegiado há mais de uma década. Mas, detém a posse (é, no mínimo, usufrutuário) de um apartamento na Avenue Foch, em Paris, que supostamente ganhou de “presente” de empreiteiros e que custa umas 50 vezes mais que o valor do tal triplex do Guarujá, para cuja compra ele teria de acumular o salário de Presidente da República e de professor universitário por uns 200 anos… E não está preso. Aliás, nunca foi sequer investigado, nem julgado, o que dirá condenado…

E não o foi (e nem nunca o será) porque faz parte de uma elite corporativista, que se protege de tudo e de todos: neto de marechal e filho de general do Exército, foi professor universitário. Lula é pobre, nascido e criado pobre. Por ter sentido a dor e o sofrimento da fome e da miséria, foi o que mais fez pelos pobres.

Mas, tem gente que prefere defender aqueles que lhe oprimem do que se libertar dos grilhões que lhe prendem, física e psicologicamente…

Ficam repetindo, igual papagaio, os mantras que são vomitados pela imprensa familiar, tradicional, conservadora e sonegadora de impostos do país, associada às forças dominantes da sociedade, em conluio com parcela viciada do Judiciário, Ministério Público e Polícias.

Ante um absurdo jurídico-midiático, preferem se valer do argumento de autoridade do que da autoridade do argumento: “se você acha que entende mais de direito e de processo penal do que 01 juiz federal, 03 desembargadores federais, 05 ministros do STJ e 06 ministros do STF então corre para o próximo concurso porque você é um gênio perdido do direito brasileiro.” Risível, de tão ridículo…

Afirmam que aplaudem a prisão de Lula  porque defendem punição para todo e qualquer corrupto, independente de partido.

Mas, não entram no mérito dos abusos de autoridade, da carência de provas e das ilegalidades, formais e materiais, cometidas nos processos contra Lula (nem têm capacidade para isso) e não ousam vestir suas “amarelinhas”, bater panelas ou sair às ruas em protesto quando as notícias de corrupção ocorrem em desfavor dos seus.

Querem enganar quem? Biltres, infames, pusilânimes…

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Renata Mielli

Quem fingiu que a Guerrilha do Araguaia não aconteceu foi a Rede Globo

Margarida Salomão

Matar um leão por dia e eleger Lula Presidente

Colunista NINJA

O povo Guarani resiste!

Ricardo Targino

Matheusa Passareli vai aparecer em seus sonhos

Ericka Gavinho

Aos artistas, com carinho

Colunista NINJA

Mães não existem

Henrique Vieira

Henrique Vieira: O Discursos de Bolsonaro Versus o Evangelho de Jesus

Lindbergh Farias

Lindbergh Farias: Show de Boulos, um verdadeiro 7 a 1

Sâmia Bomfim

Sâmia Bomfim sobre incêndio no Paissandu: A 'arquitetura da gentrificação' fez novas vítimas

Luiz Henrique Eloy

A união é o remédio mais eficaz

Mônica Horta

Mônica Horta: Representatividade importa. E “tá na moda”

Márcia Tiburi

Carta Aberta ao Ministro Marco Aurélio Mello

Carlos Minc

Amazônia ameaçada pela expansão da Cana de Açúcar

Liana Cirne Lins

Vai lavar uma louça: Reflexões do 8 de março

Isa Penna

Isa Penna - A Intervenção Militar é machista